//Maranho da Sertã classificado como produto IGP
maranho

Maranho da Sertã classificado como produto IGP

O ‘Maranho da Sertã’ recebeu a denominação IGP – Indicação Geográfica Protegida.

As especificidades que caracterizam a sua produção e o papel que desempenha a nível socioeconómico na região, tornaram possível que o ‘Maranho da Sertã’ recebesse a denominação IGP, que, de acordo com a Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, identifica um “produto originário de um local ou região determinados, que possua determinada qualidade, reputação ou outras características que possam ser essencialmente atribuídas à sua origem geográfica e em relação ao qual pelo menos uma das fases de produção tenha lugar na área geográfica delimitada.”

É produzido no concelho da Sertã, em Castelo Branco e entende-se pelo ensacado feito a partir da ‘bandouga’, nome popular dado ao estômago de ovinos e caprinos que serve como invólucro no processo.

Os principais ingredientes na sua constituição são a carne de caprino e/ou ovino, o arroz carolino e a hortelã. Estão ainda listados como ingredientes obrigatórios, o toucinho entremeado, o presunto, o azeite, o vinho branco, o sal e a água e enquanto ingredientes facultativos, o chouriço de carne, pimenta ou piripiri, sumo de limão e alho.

O ‘Maranho da Sertã’ apresenta uma aparência exterior rugosa e a forma típica de um estômago, evidencia-se o seu sabor a carne caprina e/ou ovina e o aroma a hortelã.

Para o presidente da Câmara Municipal da Sertã, Carlos Miranda, a atribuição do selo IGP “é o culminar de um trabalho desenvolvido ao longo dos últimos anos pelos empresários de restauração e charcutaria, pela AproSer — Associação de Produtores do Concelho da Sertã e pelo município da Sertã”.

“Esta proteção vem cimentar o estatuto do Maranho da Sertã, atestando a sua qualidade e autenticidade”, acrescentou Carlos Miranda numa nota da autarquia enviada à agência Lusa.

O seu caderno de especificações, diferencia o ‘Maranho da Sertã’ de outros maranhos “pelo facto de não ter como ingrediente o serpão (‘Thymus serpyllum’), de não utilizar bandouga sintética e de ser cosido à mão com agulha e linha”.

O ‘Maranho da Sertã’ junta-se à lista de mais de 190 produtos portugueses que a União Europeia já classificou como Indicações Geográficas Protegidas.

 

Festival de Gastronomia do Maranho

Entre 14 e 17 de julho, regressa à Sertã o Festival de Gastronomia do Maranho, uma iniciativa focada na promoção do talento local e dos saberes e sabores deste município.

O festival posiciona-se como um encontro gastronómico e uma referência na região centro. Este é também uma celebração de costumes e tradições que pretende dar palco a atividades culturais e familiares, através de demonstrações e workshops desenvolvidos em exclusivo pelas freguesias da região.

Saiba mais sobre este festival aqui

https://jornalsabores.com/festival-de-gastronomia-do-maranho/

Fonte:

Lusa