//Sabores ‘que não viajam’

Sabores ‘que não viajam’

‘Km0 Alentejo’ vai garantir que os produtos consumidos não ‘viajaram’ mais de 50 Km.

A iniciativa, que conta com oito entidades regionais, vai definir critérios para uma certificação que garante aos consumidores dos restaurantes certificados e aos clientes dos estabelecimentos de venda, que os produtos classificados como ‘Km0’ são de facto originários de produção local, num raio máximo de 50Km do local de consumo ou venda ao consumidor final. Cada operador certificado será georeferenciado e inserido numa plataforma eletrónica onde será possível visualizar locais de produção, compra e consumo de produtos certificados ‘Km0’.

A missão, apresentada no site desta iniciativa é “potenciar o consumo de produtos agro-alimentares de origem local, e também a produção e transformação dos mesmos, contribuindo, entre outros, para a valorização dos produtos locais.
Este conceito vai ao encontro da cada vez mais falada ‘pegada ecológica’, que resulta dos consumos de energia associados não apenas aos processos de produção em regime intensivo, mas também com a embalagem, transporte e armazenagem dos géneros alimentares produzidos a grande distância do local de consumo.

Promoção da economia local e dos pequenos produtores

Esta iniciativa constitui um importante apoio à economia local e os pequenos produtores pois estimula a circulação económica dentro da comunidade e a oferta de produtos alimentares diferenciados e verdadeiramente reveladores do carácter da região. O envolvimento da restauração, incluindo as cantinas escolares, bem como as unidades de comércio de produtos agro-alimentares, incluindo mercados locais, juntamente com campanhas de promoção do conceito e da iniciativa Km0 dirigidas ao consumidor final, deverão gerar o volume de mercado necessário para garantir a viabilidade e consequente sobrevivência das explorações.

Os promotores da iniciativa Km0 acreditam que se conseguirá “valorizar socialmente a figura do agricultor, contribuir para uma gestão sustentável dos recursos energéticos e diminuição da pegada ecológica alimentar, contribuir para a soberania alimentar e estímulo da produção local e preservar a biodiversidade e a proteção das técnicas de produção tradicionais.

Numa primeira fase prevê-se a aplicação da certificação Km0 no Concelho de Évora, podendo potencial e desejavelmente ser estendida a outros concelhos da região.

A coordenação é da Universidade de Évora através do MED – Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento, que tem como parceiros a Câmara Municipal de Évora, Entidade Regional de Turismo, Associação Comercial do Distrito de Évora, Núcleo Empresarial da Região de Évora, Fundação Alentejo, Gesamb e SlowFood Alentejo

A aplicação da certificação Km0 será, numa primeira fase apenas no concelho de Évora, mas prevê-se que venha a merecer o interesse de outros municípios da região.

Saiba mais em: http://www.km0alentejo.pt