Os vinhos ‘Pias’ que não são…de Pias

“Leva este que é alentejano, é de Pias” sugeria o acompanhante de um cliente de uma grande superfície, indicando um vinho, em bag in box, que ostentava na marca a palavra ‘Pias’.

A avaliar pelo número de marcas que fazem parte da atual oferta, a localidade de Pias está ‘em alta’ na cotação vinícola. Numa pesquisa (pouco aprofundada), identificámos 12 marcas de vinho acondicionado em bag in box em que é usada a palavra que pretende «identificar» aquela freguesia alentejana do concelho de Serpa. Mas é provável que existam mais algumas.

Vejamos a lista

Arca de Pias; Amigos de Pias; Anta de Pias; Alma de Pias; Castelo de Pias; Chão de Pias; Ermida de Pias; Lagar de Pias; Ouro de Pias; Porta de Pias; Só Pias; Vinhos de Pias.

Uma boa parte dos consumidores, menos atenta à importância de ler os rótulos, compra na ilusão de se tratar de vinho proveniente daquela região alentejana. Mas a verdade é que a maioria desta oferta não é proveniente do Alentejo e nem sequer de Portugal. Uma observação mais atenta mostra a indicação de se tratar de vinho «proveniente» da UE (União Europeia).

Consumidores com conhecimento/informação na área dos vinhos saberão que, de acordo com o IVV – Instituto do Vinho e da Vinha, “quando o produto resulta de uma mistura de vinhos de várias proveniências da UE, então essa situação deve ser designada na rotulagem através de uma das seguintes expressões:“ Vinho da UE “ ou “Mistura de Vinhos de diferentes países da União Europeia “

Assinale-se (e sublinhe-se) que entre as marcas acima referidas algumas (poucas) ostentam a indicação de produzido em Portugal que, naturalmente, valoriza o produto. E há mesmo, como por exemplo no caso da Ermida de Pias, a indicação de se tratar de um vinho Regional Alentejano, o que garante que, de acordo com a legislação, “só é admitido incluir 15% de vinho proveniente de outras regiões”.

Não existe qualquer irregularidade nem ‘anormalidade’ na identificação de proveniência UE. Mas é fácil perceber que o nome – a marca – pode induzir em erro um grande número de consumidores. E pelo número de marcas «com» Pias, o nome ajuda a vender.

Reconhecidamente, produzem-se bons vinhos naquela região, mas o mesmo não pode ser garantido entre a (pelo menos) dúzia de marcas acima referidas.

O bag in box, ou embalagem de cartão

Há uma dezena de anos ainda muitos consumidores desconfiavam destes sacos de vinhos dentro de uma caixa de cartão.
Atualmente muitos se renderam a este processo que não deixa o vinho oxidar pois a torneira deixa sair o líquido, mas impede a entrada de ar que, como se sabe, é o responsável pela oxidação.

E, diga-se, o mercado já oferece bons vinhos em embalagens de 3 ou 5 litros, alguns mesmo classificados como regionais.

24 thoughts on “Os vinhos ‘Pias’ que não são…de Pias

  1. Felizmente que com o passar do tempo, os consumidores renderem-se ao bag-in-box e hoje já é possível encontrar bons vinhos neste tipo de embalagem, mas como tudo na vida nada é perfeito e com a ânsia de se ganhar dinheiro fácil vende-se gato por lebre e nem sempre o rótulo identifica a proveniência e qualidade. À parte deste percalço, temos de concordar que a relação qualidade e preço é ótpima e se forem observadas as boas regras no enchimento, temos um produto sem oxidação que se pode consumir por largo tempo, mantendo sempre a mesma qualidade. Bom proveito

  2. Estaria muito certo se Pias tivesse vinhas com produção para atingir tal volume de litros. Só que a Máfia impera em tudo também no vinho e dá nisto porque o verdadeiro de pias sim garanto é muito bom mesmo

    1. Pois por ser bom o de Pias, é que tentam «enganar» o consumidor colocando a palavra Pias. Quanto ao registo, é estranho que sejam aceites nomes tão parecidos como os que se referem no artigo.

        1. Nao fale do que nao sabe, temos boas vinhas e bom vinho a ser produzido em pias, se tem.dúvidas disso, passe cá e veja com os seus próprios olhos

  3. Porque é que as cooperativas de Pias não registaram a patente do vinho Alentejano de Pias? Ai nunca ninguém podia utilizar mais a denominação de Vinho de Pias, quem utilizasse iria contra a lei e teria que prestar contas e apanhar uma valente multa.

    1. Carlos Antunes, infelizmente em Pias não há Cooperativas, nem de vinhos nem de nada. Há uma filial de uma Cooperativa de olivicultores com sede em Brinches. Não se justificava de qualquer modo, a existência de uma cooperativa de vinhos, pois praticamente existem dois produtores. Outros vinhos, de empresas de Pias e com rótulo de Pias…, não se sabe de onde é que são.!!!

    2. O mundo das marcas e patentes é um pouco complicado… Acontece que existem mais povoações chamadas Pias sem ser no Alentejo… E Vinho de Pias não é uma denominação, logo não podia ser registada. Quanto a existirem muitas marcas parecidas, tal é possível porque se pode registar uma variedade de marcas desde que a percentagem de palavras em comum seja superior a 50%.

  4. COM TODOS ESTES NOMES REFERENCIAS A “Pias” não destrincei qual o verdadeiro vinho “Pias” original [VERDADEIRO], como vem embalado, e; qual a capacidade de cada unidade ?
    Fico a agurdar resposta.

    1. O Verdadeiro vinho original de (pias) vem da S.A.P. (Sociedade Agricola Pias) pertencendo está cooperativa á familia MARGAÇA há decadas de anos.
      Os vinhos desta cooperativa teem vários nomes conhecidos Nacional e Internacional como ” Encosta do Enxoé…Pulo do Lobo…Margaça…Dona Fernanda…AsPias …etc.
      Existem garrafas 0,75cl…Bib 5 lt…

    2. Além do referido pelo Sr. Margaça, o verdadeiro Pias, tem o código postal referente a esta zona do Alentejo ( Pias-Serpa) , e a morada da sede em Pias…. Mais nenhum outro tem. Espero ter ajudado. Cumprimentos

  5. Se este vinho, ou a maior parte é
    proveniente de Espanha, como é que é possível as nossas autorida-
    dês nada façam, deixarem enganar
    o povo?
    PARTE DESTE VINHO COM O NOME
    DE PIAS É ESPANHOL!!!
    Temos que passar a palavra.
    JÁ CHEGA DE MENTIRAS. O povo não merece ser castigado com tantas MENTIRAS.
    Sem justiça não há DEMOCRACIA
    em condições.
    NÃO TEMOS PROTEÇÃO!!!

  6. há anos atrás ,havia o vinho com o nome de pias ,mais tarde foi obrigado a mudas de nome passando a chamar-se ASPIAS,bom vinho

  7. Lamento sinceramente esta verdadeira aldrabice e sempre que estou presente no momento da venda seja onde for, peco desculpa ao comprador e esclareco a “vigarice” tendo conseguido muita anulacao de venda. E pena que o comerciante nao seja esclarecido e proceda da mesma forma mas infelizmente o lucro fala mais alto

  8. Temos que defender o que é Português, pois se nos orgolhamos de ser Portugueses, há que consumir o que é nosso, piois só assim estamos a defender os nossos produtores. Se os estrangeiros compram os nossos vinhos por alguma razão é. Antes de comprar há que verificar a embalagem porque por lei tem que dizer se é produto da UE ou de origem Portuguesa.

  9. É uma vergonha o que fazem,ainda hoje comprei um,lagar das pias,sendo assim já me arrependi,agora já sei o que fazer quando voltar a comprar vinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *