//Vinhos portugueses arrecadam 45 medalhas em Paris
vinhos medalhas de ouro

Vinhos portugueses arrecadam 45 medalhas em Paris

Portugal destaca-se pelos triunfos absolutos nas categorias de Melhor Tinto e Melhor Licoroso num dos maiores concursos do mundo onde apenas França bate os vinhos portugueses.

Os vinhos portugueses que foram a Paris competir com 3 mil néctares de 40 países na 28ª edição do concurso ‘Vinalies Internationales’ arrecadaram um total de 45 medalhas e “conseguiram também conquistar dois dos cinco Grandes Prémios a Concurso, para o melhor licoroso e melhor tinto”, sublinha Frederico Falcão, presidente da Viniportugal, num balanço “muito positivo”.

A Casa Ermelinda Freitas, que já conta com diversas conquistas internacionais, voltou a ver os seus vinhos reconhecidos, neste que é um dos maiores e mais prestigiante concurso de vinhos que se realiza no mundo, conquistando um total de 13 medalhas (três medalhas de Grande Ouro, cinco de Ouro e cinco de Prata). É de destacar o grande prémio obtido pelo Casa Ermelinda Freitas Moscatel Roxo de Setúbal Superior 2010 de Melhor Vinho Internacional Fortificado neste concurso.

Portugal destacou-se precisamente pelos triunfos absolutos nas categorias de Melhor Tinto (Adega Cooperativa Do Cartaxo, com o Bridão Touriga Nacional) e Melhor Licoroso (Casa Ermelinda Freitas com o Moscatel Roxo de Setúbal Superior), onde teve como único rival a França, organizadora do certame e vencedora das restantes três categorias: Melhor Branco, Melhor Espumante e Melhor Rosé.

“Fomos também o segundo país com mais medalhas Grande Ouro (14), atrás da França (35), a que juntamos mais 15 medalhas de ouro e 14 de prata. Destacamo-nos claramente e podemos ver aqui um bom sinal da qualidade dos nossos vinhos”, afirma o presidente da Viniportugal, a entidade responsável pela promoção dos vinhos portugueses, sublinhando que “os resultados dos produtores nacionais são excelentes e são um ótimo sinal para o sector, considerando que tudo resulta de provas cegas num certame em que a maioria dos provadores são franceses”.

Espanha e Itália, conquistaram apenas 23 medalhas (duas grande ouro) e 12 (três grande ouro), respetivamente. Frederico Falcão destaca, ainda, uma análise recente sobre a participação e resultados dos vinhos portugueses em provas internacionais para afirmar que na relação entre vinhos a concurso e prémios “apresentamos o melhor rácio”

No triunfo dos vinhos portugueses em Paris, em 2022, dominam as regiões de Lisboa, Tejo e Península de Setúbal, o que a Viniportugal interpreta como resultado de uma aposta forte destas regiões no certame considerando também “objetivos de exportação”.

Os vinhos portugueses já brindaram a um recorde nas exportações em 2021, traduzido em vendas de 925 milhões de euros no mercado externo, o que representa um salto de 8,11% face a 2020, que já tinha registado um crescimento de 4,5% comparativamente a 2019.