//Vinhos do Alentejo batem recorde de exportação
exportação vinhos do alentejo

Vinhos do Alentejo batem recorde de exportação

Os Vinhos do Alentejo atingiram valores recorde nas exportações em 2021, com as vendas a crescerem 17,5% em valor, alcançando um total de 69,4 milhões de euros, e 11,6% em volume, ao exportarem 19,7 milhões de litros de vinho para o estrangeiro.

De acordo com a nota de imprensa distribuída, já em 2017 um estudo TGI da Marktest, que permite identificar, conhecer e segmentar o consumidor português de acordo com os seus consumos e posse de bens e serviços, concluía relativamente às preferências pela origem do vinho, que os vinhos do Alentejo eram os mais referidos por mais de metade dos consumidores. Os vinhos com origem no Porto e Douro colocaram-se na segunda posição e os vinhos de outras origens portuguesas na terceira.

Não é, portanto, de estranhar que o Alentejo seja a região líder no mercado nacional na categoria de vinhos engarrafados de qualidade com Denominação de Origem (DOC Alentejo) ou Indicação Geográfica (Regional Alentejano), tendo uma quota de mercado de cerca de 40 por cento. 

Mas estes vinhos não têm destaque apenas no mercado nacional. As vendas internacionais em 2021 atingiram o valor record na exportação, com crescimento na quantidade e no valor, de acordo com os dados do INE referentes a vinhos em embalagens até 2 litros de capacidade. De janeiro a dezembro a exportação cresceu 17,5% em valor, para 69,4 milhões euros e em volume exportaram-se 19,7 milhões de litros, gerando um aumento de 11,6% face a igual período de 2020.

O preço médio subiu 5,3% e atingiu o valor mais elevado dos últimos cinco anos para os €3,52 por litro. O Brasil, Suíça, Reino Unido, Polónia e Alemanha foram os principais destinos responsáveis pelo crescimento da exportação. A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) destaca a “importante subida” no preço médio por litro que, de janeiro a dezembro de 2021, valorizou 5,3%, com os vinhos DOC a subirem 9,2% e o Regional a subir 3,0%. A CVRA sublinha, ainda, que os ganhos conseguidos em diversos mercados estão a superar a considerável quebra nas exportações para Angola, registada desde 2017.   

“Perante estes resultados só podemos aplaudir os produtores alentejanos que mostram a sua capacidade exportadora e valorizam cada litro de vinho vendido, demonstrando a qualidade dos vinhos do Alentejo, com os mercados internacionais a mostrarem-se recetivos para pagarem mais pelo vinho da região”, salienta Francisco Mateus, presidente da CVRA. E remata “Em 2021 estabilizámos a tendência de quebra em Angola e aumentámos as vendas em 11 dos 15 principais destinos do Alentejo, sinais que nos deixam muito expectantes com o futuro das exportações de vinho do Alentejo.” 

A CVRA destaca, ainda, o desempenho da exportação para o mercado de Espanha, que duplicou as suas compras (+127% em valor e 134% em volume), e Austrália (+252% em valor e +290% em volume), considerando tratarem-se de países também eles produtores de vinho e que, habitualmente, vendem mais vinho do que do que adquirem. 

 

SOBRE A COMISSÃO VITIVINÍCOLA REGIONAL ALENTEJANA

 A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) foi criada em 1989 e é responsável pela proteção e defesa da DOC Alentejo e da Indicação Geográfica Alentejano, certificação e controlo da origem e qualidade, promoção e fomento da sustentabilidade.  O Alentejo é líder nacional em vinhos certificados, com cerca de 40% de valor total das vendas num universo de 14 regiões vitivinícolas em Portugal. Com uma área de vinha de 23,5 mil de hectares, 30% da sua produção tem como destino a exportação para cinco destinos principais, designadamente Brasil, Suíça, EUA, Reino Unido e Polónia. Uma das duas únicas regiões do mundo que produz Vinho de Talha há mais de dois mil anos, o Alentejo é ainda detentor de uma iniciativa pioneira, o ‘Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo’, que tem como objetivo melhorar as práticas utilizadas nas vinhas e adegas, produzindo uvas e vinho de qualidade e economicamente viáveis.