//Vinho ‘Porca de Murça’ muda imagem aos 90 anos

Vinho ‘Porca de Murça’ muda imagem aos 90 anos

A lenda de Porca de Murça está na base da criação do novo rótulo, onde se pode ver o engenho de produção de vinho e um porco.

A marca de vinhos do Douro ‘Porca de Murça’ está a celebrar 90 anos e a Real Companhia Velha investiu em uma imagem disruptiva.

“‘Porca de Murça’ é uma das marcas de vinhos mais emblemáticas do Douro, cujo consumo atravessou já várias gerações. É uma marca muito importante para a Real Companhia Velha, para a qual queremos atrair uma faixa etária mais jovem. Vamos fazê-lo com recurso a uma linguagem mais cool e imagética, invertendo a ideia de que aos 90 anos temos que adoptar uma postura clássica. Se há pessoas que são exemplo disso, porque não fazê-lo no vinho.”, afirma Pedro O. Silva Reis, Trade Marketing Manager da Real Companhia Velha.

A nova imagem dos vinhos ‘Porca de Murça’ remete-nos para a história do seu nome (*), algo inacessível na anterior identidade e que vai prender o consumidor não só ao vinho, mas também à imagem. A lenda de Porca de Murça está na base da criação do novo rótulo, onde se pode ver o engenho de produção de vinho e um porco. Ou será uma porca? Afinal, a tal invenção é atribuída a uma mulher de feições másculas que, ao ser descoberta aquando da distribuição do néctar pela vila (de Murça), fugiu. Em sua honra foi erguida uma estátua com a forma de uma porca bem roliça.

‘Porca de Murça tinto 2017’ e ‘Porca de Murça branco 2018’ são as referências que vão encetar esta nova imagem, ambas disponíveis em garrafas de 0,75 litros (PVP recomendado de €4,59) e meias garrafas.

(*) O conceito da nova identidade:
Passaram-se mais de 90 anos. Vivi-os a correr e, para celebrar este momento, visto-me a rigor e dou a cara à nova imagem deste néctar do Douro, bem presente na vossa mesa. Mas, por agora, nada melhor do que nos reunirmos e ouvirem o que tenho para vos contar:

… a lenda da Porca de Murça!
Vivia escondida no bosque uma mulher de feições másculas que tinha uma grande paixão: criar vinbo feito com uvas vindas diretamente dos socalcos do Douro. Montou um engenho de produção e, depois de encontrar a receita certa, distribuiu-a pela Vila que temia a sua existência. Um dia, por percalço, foi descoberta por um habitante que gritou e acordou toda a Vila. A mulher fugiu, nunca mais foi vista mas, em sua honra, foi erguida uma estátua com a forma de uma porca bem roliça.