//Vinho alentejano a mil euros/garrafa

Vinho alentejano a mil euros/garrafa

Já foi vendida cerca de metade da edição, limitada a 800 exemplares.

Tem sido bastante comentado o lançamento de um vinho alentejano, produzido na Herdade do Rocim, localizada entre a Vidigueira e Cuba. Na verdade não é todos os dias que o mercado português recebe um vinho que custa mil euros cada garrafa.
A primeira reção poderá ser de surpresa pelo preço. Mas surpresa para quem percebe pouco de vinhos ou para quem não tem, ou não estará disponível para pagar este valor?
Certamente haverá quem, percebendo pouco de vinhos, possa pagar para ter uma destas garrafas, apenas porque pode ter, pode pagar. E quem, tendo disponibilidade financeira, passe à frente e nem pense mais no assunto.

Dizem os especialistas que este e os restantes oito vinho que vão integrar uma série limitada denominada ‘Vinhos do Outro Mundo’ são direcionados a uma comunidade eclética de conhecedores de vinhos, onde se incluirão colecionadores e investidores. A este alentejano, seguir-se-ão lançamentos das regiões de Bordéus, Champagne, Priorat, Toscana, Napa Valley, Mosel, Geórgia e o de novo Portugal com um vinho do Douro, sempre com produções de 500 a 1000 garrafas e preços que poderão ir até aos “cinco dígitos” o que quer dizer, no mínimo, 10.000 euros.

 

Mas vamos ao ‘tal’ vinho cujas informações disponíveis referem apenas que “foi feito com castas indígenas e métodos de produção antigos, incluindo fermentação e quatro anos de envelhecimento em talhas”.
Um dos responsáveis por tudo isto é Cláudio Martins, da Martins Wine Advisor, que referiu tratar-se de “uma parceria com Pedro Ribeiro da Herdade do Rocim, um dos produtores mais respeitados da região do Alentejo”, acrescentando que os nove vinhos tornar-se-ão rapidamente alguns dos vinhos mais cobiçados nas próximas décadas e, logicamente, o seu valor aumentará exponencialmente durante esse período”.
Cada um dos próximos lançamentos anuais representará um planeta do sistema solar e, tal como este primeiro, virá numa caixa luxuosa e original, que inclui um código que permite aos colecionadores ter acesso a informações exclusivas, a fotografias, vídeos e uma até agenda de eventos privados a acontecer pelo mundo.

 

Vinho do Coliseu em Roma
Foi noticiado recentemente que uma produtora de vinhos italiana plantou uma pequeníssima vinha no Monte Palatino, situado nas proximidades do Coliseu, em Roma.
Pelo simples facto de ser anunciada com a intenção de “valorizar o vínculo cultural e ético que a região mantém com as origens agrícolas da antiga civilização romana” já está a despertar o interesse de muitos colecionadores.
Mas se a isto acrescentarmos o facto de se prever que a produção não deva ultrapassar as 500 garrafas e o vinho não será colocado à venda, facilmente se percebe o comentário de um especialista: “cada garrafa deverá atingir valores exorbitantes e certamente poucas serão para beber”.