//Vaticano é o maior consumidor mundial de vinho ?

Vaticano é o maior consumidor mundial de vinho ?

Cada um dos 850 habitantes do Vaticano consome, em média, 74 litros de vinho por ano.

(Ver * no final do texto)

É verdade que foi noticiado que o Papa Francisco depois de saudar casais que celebravam 50 anos de matrimónio, afirmou que “não se pode encerrar uma festa de casamento bebendo chá”, acrescentando que “seria uma vergonha pois o vinho é necessário para uma festa”.
Mas isso não justifica os números agora revelados no que se refere ao consumo de vinho na cidade do Vaticano. Por outro lado, trata-se da velha história da média, levando a que quem não bebe seja considerado ao mesmo nível dos que bebem exageradamente.

Mas a verdade é que o California Wine Institute revelou que o Vaticano tem o maior ‘consumo per capita’ no mundo com cada habitante a consumir uma média de 74 litros de vinho por ano — duas vezes o consumo dos vizinhos italianos e sete vezes o consumo dos Estados Unidos.

O estudo foi considerado credível, embora se apresentem justificações para os números apresentados e haja quem aponte ser significativo o volume de vinho vendido para consumir fora da cidade do Vaticano.

Seria até compreensível pensar que tal facto estaria relacionado com a quantidade da bebida que é usada em missas. Mas não é bem assim. Segundo o instituto, esse vinho não faz sequer parte desta conta. O vinho usado para as cerimónias vem de um fornecedor especial e não é do mesmo tipo daquele que é encontrado no mercado.
“O vinho do altar e o vinho de mesa são duas coisas diferentes”, disse monsenhor Jose Avelino Bettencourt ao The Daily Best. “Vinho sacramental é considerado sagrado, vinho de mesa é de uma variedade diferente.”

Na busca de uma justificação para este facto, a entidade que realizou o estudo disse que a razão mais lógica para o alto consumo de vinho do Vaticano é a própria demografia. A população inclui muitos padres e freiras, que vivem em comunidade e jantam em refeitórios onde o vinho flui livremente. Os moradores como um todo são mais propensos a serem idosos, homens, altamente educados e comer em grupos maiores, tudo fatores que contribuem para um consumo maior de vinho.
Outra fonte avançou que poderá também contribuir para estes resultados, o facto de se comprar vinhos a preços mais reduzidos, para consumir fora da cidade do Vaticano.

*NOTA – Este artigo foi publicado no Jornal dos Sabores em Julho de 2016. A sua (re)publicação pretende ser apenas uma nota de curiosidade sobre a tão falada média de consumo, por exemplo em Portugal.