//É urgente melhorar a “literacia alimentar”

É urgente melhorar a “literacia alimentar”

Bastonária da Ordem dos Nutricionistas defendeu a urgência de aumentar a literacia alimentar da população.

Para além da urgência de o Estado aumentar a literacia alimentar da população, Alexandra Bento, bastonária da Ordem dos Nutricionistas, defendeu a necessidade de adotar um sistema de rotulagem único para ajudar os consumidores a fazer escolhas “mais saudáveis e sustentáveis”.

Alexandra Bento, em declarações à agência Lusa a propósito do seminário “Escolhas alimentares informadas e literacia nutricional do consumidor”, que decorreu no Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), em Lisboa afirmou que “se não conseguirmos capacitar a população para escolher bem, combinar bem os alimentos e para os cozinhar de forma adequada, para desfrutar da comida de uma forma saudável e sustentável, certamente não vamos contribuir para mais e melhor saúde da população portuguesa”, afirmou, defendendo um “maior investimento” nesta área.

“Será desconfortante se pensarmos que muitos portugueses comem mal porque não houve no passado, e continua a não haver no presente, programas que sejam intencionalmente desenhados de educação alimentar em consonância com as grandes mudanças que a sociedade tem tido”, vincou a bastonária.

“A bem do consumidor”, defendeu, “o Governo tem que tomar uma decisão que aponte para um esquema de rotulagem único no país”, para que este possa conseguir “escolher de forma clara, simples, rápida e eficaz os alimentos que são mais saudáveis”.

Há muito tempo que a Ordem dos Nutricionistas tem vindo a alertar para o facto de a alimentação constituir “um dos principais fatores de risco modificáveis que mais contribui para a mortalidade e mobilidade dos cidadãos e que, segundo a DGS, em Portugal, os hábitos alimentares inadequados são o terceiro principal fator de risco que mais contribui para o total de anos de vida saudável perdidos”.