//Único chá da Europa continental é português

Único chá da Europa continental é português

Na plantação, numa freguesia de Vila do Conde, há visitas guiadas, degustações e workshops.

Há uma linha ténue entre o sonho e a loucura – e os grandes projetos nascem muitas vezes nessa fina fronteira. Como explicar, de outro modo, que o que começou por ser um grande interesse e paixão de duas pessoas pelo chá, em 2011, se tenha materializado na única plantação de chá da Europa continental? Duas razões explicam a ausência de chá na Velha Europa: a extrema exigência da produção (a planta demora cinco anos até à possível primeira colheita), e a dificuldade em encontrar as condições climáticas adequadas à plantação

Nina Gruntkowski, alemã e Dirk Niepoort, duriense de origem holandesa são almas perseverantes e com hábitos de ver mais longe que em 2011, tiveram a ideia de plantar chá em Portugal, num local com humidade mas onde raramente as temperaturas caem abaixo de zero. Nasceria assim, em Fornelo (freguesia de Vila do Conde), no ano de 2014, a plantação de Chá Camélia, a única plantação de chá na Europa continental. Mas muito antes disso, a primeira experiência fez-se no jardim da casa do Porto de Nina e Dirk, onde os primeiros 200 pés de “Camellia Sinensis” foram plantados e cuidados com dedicação.

Em 2019, surgia a primeira produção de chá verde na Chá Camélia. Doze quilos de chá seco a partir de quase 60 kg de folhas frescas – tudo feito à mão, artesanalmente. Esta Primavera, a equipa da Chá Camélia, apesar das incertezas provocadas pela situação do Covid 19, conseguiu produzir cerca de 50 quilos de chá verde. O Chá Camélia é um chá biológico e artesanal, feito em Portugal Continental. É um chá verde, de estilo asiático, de elevada qualidade, feito a partir de folhas inteiras, para melhor preservar o seu sabor. Da mesma forma, todas as embalagens do chá Camélia são de vácuo, e nunca em saquetas, para garantir uma utilização que ofereça o melhor resultado final. É por essa razão, também, que um chá verde deve ser preparado com boa água, sem ferver, com pouco tempo de infusões, e repetindo as infusões (que podem ir até cinco). São todos estes preceitos, a atenção ao detalhe e o cerimonial do chá que podem viver-se nos ‘workshops’ que se promovem nesta plantação.

Sobre os workshops:
Divulgar a cultura do chá e o cerimonial com ele relacionado é um dos objetivos destes workshops, que convidam a uma imersão sensorial num mundo fascinante.
Na plantação Chá Camélia, podem fazer-se visitas guiadas, com a duração de duas horas, que incluem uma degustação de três chás no final.
Devido à pandemia de Covid-19, várias medidas de proteção foram aplicadas.

Sobre a produção de Chá Camélia:
De 2011 aos dias de hoje, muita foi a água que correu neste projeto do Chá Camélia. Desde as primeiras 200 plantas, no jardim da casa do Porto de Nina Gruntkowski e de Dirk Niepoort, aos atuais 12 000 pés de chá, o objetivo inicial manteve-se inalterado: produzir um chá verde de alta qualidade. Tendo consciência de que essa produção é muito complexa, o primeiro passo do casal foi procurar produtores de chá verde no Japão, que os pudessem ajudar na direção a tomar. Em 2012, o casal de produtores japoneses Morimoto, do Sul do Japão, visitou a plantação de chá Camélia e apaixonou-se pelo projeto. Haruyo e Shigeru San têm mais de 40 anos de experiência no mundo do chá e ajudaram o casal com os seus conhecimentos no cultivo e produção de chá biológico. Com alguma frequência, os Morimoto visitam a plantação de Chá Camélia e dão valiosos conselhos sobre o trabalho na plantação.

Mais em: https://chacamelia.com