//Tinto de Setúbal é a ‘Pechincha do Ano’
vinho tinto de setubal

Tinto de Setúbal é a ‘Pechincha do Ano’

Um tinto da Península de Setúbal que fica por 12 dólares nos EUA é a escolha do ano para a lista de melhor relação qualidade-preço assinada pelo especialista de vinhos Dave McIntyre.

O ano termina e confirma-se mais um sucesso dos vinhos nacionais no estrangeiro. O Washington Post publicou a sua habitual lista de 12 vinhos do ano que são um ‘achado’, e o Pioneiro Tinto 2018, da Península de Setúbal, ficou no topo: “A minha melhor escolha para este ano é na verdade muito nova. Experimentei o blend tinto do Pioneiro, da Península de Setúbal, há apenas algumas semanas e fiquei impressionado com a forma como os sabores persistiram, e se desenvolveram, ao longo de vários dias — uma característica que mostra uma qualidade que não se encontra muitas vezes por 12 dólares (10,60€) por garrafa.”

tinto de setubal

Ao longo do ano, o especialista do jornal norte-americano destacou 255 vinhos. Agora acrescenta-lhe mais 12 que são “pechinchas” e escreve mesmo que o Pioneiro 2018, da Venâncio Costa Lima, é assim a sua 156.ª recomendação. A Venâncio Costa Lima, de Palmela, que conquistou o título de melhor moscatel do mundo em 2020 no concurso ‘Muscats du Monde’, destaca-se uma vez mais.

No artigo, McIntyre sublinha a grande riqueza da Península Ibérica: combinados, Espanha (com 20 vinhos) e Portugal (com nove) teriam empatado com França nas suas recomendações do ano. Os dois países também lideram a lista das 12 “pechinchas”, que inclui vinhos abaixo dos 20 dólares. A lista, refere, “é resultado de uma procura por uma variedade de estilos, uvas e regiões que reflitam a diversidade do mercado e o trabalho árduo realizado pelos viticultores, importadores e retalhistas”. “Na sua maioria, escolhi vinhos que me entusiasmaram, surpreenderam e encantaram”, sublinha.

Todos os vinhos têm estrelas de 1 a 3 e o Pioneiro Vinho Tinto 2018, recebeu as três estrelas, o que equivale a ‘extraordinário’. Referindo que “Portugal já não nos devia surpreender com os seus vinhos de valor”, acrescenta que, mesmo assim, este o deixou “pasmado” com a “complexidade que oferece” versus “o seu preço”. Destacando-lhe notas de frutos silvestres, “folhas de tabaco e folhas de Outono”, garante que os sabores se desenvolvem e se tornam mais entrelaçados nos dias seguintes. E acrescenta ainda que este vinho lhe recorda um Porto não fortificado. Em Portugal, o vinho tem o preço de venda ao público na Venâncio Costa Lima de 4€.

Sobre a Venâncio da Costa Lima

A Venâncio da Costa Lima, localizada em Quinta do Anjo, é uma das adegas mais antigas da região de Palmela, com início de atividade em 1914. Sendo um negócio familiar, esta adega já vai na quarta geração.

Produtora de Vinhos de Mesa, Vinhos Certificados (Regional Península de Setúbal e DO Palmela) e Moscatel de Setúbal, esta empresa mantém o seu objetivo: produzir vinhos atuais e modernos, mas mostrando sempre o perfil e as características de um vinho desta região. Produz também aquele que considera ser um dos ex-líbris de região: o Moscatel de Setúbal. Aperfeiçoando continuamente a arte de fazer vinho, esta empresa tem feito um percurso apoiado numa atualização tecnológica permanente, permitindo a evolução da qualidade dos seus vinhos.

Reconhecida recentemente como produtor do Melhor Moscatel do Mundo (Muscats du Monde), esta adega tem investido no seu portfolio, imagem e notoriedade, trabalhando diariamente para a construção de uma empresa atual e competitiva.

 

 

imagem Dave McIntyre: sommconusa.com