//Santarém – Arrepiados de Almoster

Santarém – Arrepiados de Almoster

Comer estes bolos deixará qualquer guloso “arrepiado” como aconteceu aos fidalgos.

O Convento de Santa Maria, em Almoster, no concelho de Santarém, acolheu as freiras da ordem das Clarissas até 1834, data da extinção das ordens religiosas em Portugal. A estas freiras se deve a criação dos Arrepiados, bolos de feitura simples, para aproveitamento das claras dos ovos cujas gemas terão entrado na confeção de outros doces e das amêndoas que existiam em grande quantidade na despensa.

Para justificar o seu nome, conta-se que, estando as freiras atarefadas na cozinha preparando os bolos que iriam servir a um grupo de fidalgos de visita ao Convento, uma delas mostrou preocupação por irem apresentar um doce tão singelo a tão ilustres visitantes, sobretudo porque já existia uma grande fama dos doces das Clarissas.
Uma das freiras que preparava as amêndoas para a confeção que, na verdade, ainda não sabiam muito bem qual seria o desfecho terá afirmando que os bolos ficariam tão bons que os fidalgos se sentiriam “arrepiados”, nome com que acabaram por batizar os deliciosos bolinhos.

Se a história tem algum fundamento, é impossível comprová-lo, mas toda a gente diz que comer Arrepiados deixará qualquer guloso tão “arrepiado” como ficaram os fidalgos com estes bolos, que são uma das principais referências da doçaria escalabitana.

Receita dos Arrepiados

Ingredientes
5 claras; 500 g de açúcar; 500 g de amêndoa com pele; raspa de limão; canela q.b.
Preparação
Batem-se as claras em castelo bem firme. Acrescenta-se o açúcar, continuando a bater até fazer bolhas. Junta-se a raspa do limão e a canela. A este preparado incorpora-se a amêndoa devidamente cortada em lâminas fininhas e inteiras, sem bater. A amêndoa deve ser envolvida na massa das claras com açúcar. Num tabuleiro untado com um pouco de azeite ou óleo de boa qualidade, deitam-se colheradas de massa, afastadas umas das outras. Vão ao forno a cozer durante 15 minutos e devem ficar com um pouco de cor. Estes bolos não devem ser tendidos para que fiquem com o aspeto de arrepiados.

Harmonização sugerida pela CVR Tejo

Estes bolinhos de amêndoa fazem as delícias do lanche acompanhados por uma chávena de chá. Se os quiser apreciar com uma bebida mais forte, escolha um vinho licoroso da Região Tejo.
IN: OS Sabores da Nossa Terra – APRODER – Associação para o Desenvolvimento Rural do Ribatejo