//Rússia proíbe palavra champanhe

Rússia proíbe palavra champanhe

Só os produtores russos podem usar a palavra ‘shampanskoye’ (Champanhe)

É mais uma das ‘traquinices’ de Vladimir Putin e está a fazer ‘saltar a rolha’ aos franceses em particular e ao setor de comercialização de bebidas em geral. Tudo porque o presidente russo criou uma lei que obriga todos os produtores estrangeiros, incluindo os franceses da região de Champanhe, a denominar os seus vinhos como ‘espumantes’. Com esta lei, só os produtores de espumantes russos, podem usar nas garrafas a designação Champanhe (shampanskoye).

Compreende-se ainda melhor a enorme preocupação dos produtores franceses se tivermos em conta que para o país liderado por Putin vão 50 milhões de litros de espumante por ano, com o champanhe francês a representa 13% desse volume.
O organismo denominado ‘Comité de Champagne’ já declarou lamentar que não seja permitido garantir aos consumidores russos “informações claras e transparentes sobre as origens e características do vinho”.
Esta decisão apanhou de tal modo desprevenidos os produtores francees que a Moët Hennessy, que é o fabricante dos famosos Moët & Chandon, teve que suspender as entregas deste vinho para a Rússia, para conseguir colocar o agora exigido rótulo de ‘vinho espumante’ nas garrafas que ia exportar e assim cumprir a lei.
Vários organismos de França já se manifestaram, sublinhando que este país produz mais de 230 milhões de garrafas de champanhe por ano e que só pode usar esta designação o vinho produzido na região francesa de Champagne.

 


A Champagne suíça
No passado mês de abril o Jornal dos Sabores deu conta de uma nova ‘guerra’ dos franceses a propósito da utilização do nome do seu mais famoso vinho:
“Depois de alguns anos de luta para conquistar o direito a usar o nome da localidade nos vinhos produzidos com as uvas de 28 hectares de vinhas perto do Lago Neuchâtel, no oeste da Suíça, em janeiro passado o Conselho Estadual do governo do cantão, autorizou a criação da denominação de origem controlada (DOC) ‘Commune de Champagne’.
Pode ler esta notícia AQUI.

Foto garrafa e copos: Brut Experience