//Rótulos com mais categorias de arroz

Rótulos com mais categorias de arroz

Basmati, integral, jasmim, risotto e sushi, passam a constar nos rótulos das embalagens de arroz.

Já entraram em vigor as novas normas para comercialização de arroz e trinca de arroz com rótulos que identifiquem exatamente a qualidade do produto no interior da embalagem.

Trata-se da alteração de um decreto-lei de 2017, onde são definidas as caraterísticas a que devem obedecer o arroz da espécie Oryza sativa L. e a trinca de arroz destinados ao consumidor final, fixando-se os respetivos tipos e as classes comerciais mas também as normas técnicas relativas à comercialização, acondicionamento e rotulagem.
Através desta alteração, o Governo acrescentou às categorias de arroz comum definidas no diploma, outros tipos de arroz tipos de arroz como o basmati, integral, jasmim, risotto ou sushi.

Pode ler-se no diploma: “Identificou-se a necessidade de se proceder à clarificação das regras de rotulagem de determinados tipos de arrozes, comummente considerados como especialidades de arroz, como são os casos do arroz basmati, do arroz jasmim, do arroz risoto, do arroz integral e do arroz sushi, e de outros sujeitos a tratamentos tecnológicos, dado não se tratarem de categorias de arroz de classe “comum””, refere-se.

O novo regime estabelece outras alterações no universo da comercialização deste que é um dos produtos alimentares mais consumidos em todo o mundo.

A produção de arroz em Portugal

Só a partir dos primeiros anos do século XVIII começou a ser documentada a produção de arroz em Portugal. É já no século XIX que começa a plantar-se de forma sistemática já que antes, embora tolerada, era ilegal, devido ao perigo de malária.

No início do século XX, estabeleceram-se as bases para a produção de arroz em Portugal. Nos anos 30, os arrozais cresceram significativamente e as zonas de cultivo estenderam-se a outras regiões do país.

Atualmente, o arroz é cultivado na bacia do Mondego (Figueira da Foz, Coimbra), nas bacias da Beira Baixa, na bacia do Sado (Alcácer do Sal), na bacia dos afluentes do Tejo, nas represas a Sul e noutras regiões, em menor escala. Uma grande percentagem do arroz produzido em Portugal corresponde a variedades de grão arredondado, que é o carolino e suas principais variedades são Aríete e Euro, mas também se produz arroz Agulha, de grão caracteristicamente alongado.

Para ser bem sucedida, a produção de arroz por colheita depende, em Portugal, de três parâmetros cruciais: a temperatura, que pode afetar a planta se for extremamente baixa, a água disponível, que determina a superfície que pode ser semeada e que influencia o aparecimento de possíveis doenças, e a quantidade de radiação solar que os arrozais recebem.