//Requentado

Requentado

Tradicional da Golegã, há quem afirme que é a segunda fervura que faz toda a diferença.

O Requentado é um prato muito popular na Golegã e em muitos outros concelhos do Ribatejo, sendo mais um exemplo da ancestral economia doméstica, com o aproveitamento e a valorização das sobras, usando produtos da região. Depois do consumo da sopa, para não repetir o mesmo prato na refeição seguinte, usava-se a criatividade, acrescentando o alho e o pão de milho.
Mas há quem afirme que é a segunda fervura que faz toda a diferença.
Quem podia, acompanhava o Requentado com bacalhau assado, durante muito tempo conhecido como o fiel amigo, ou com sardinhas fritas ou assadas.

Ingredientes
Para a sopa, que deve ser em quantidade suficiente para duas refeições: 300 g de feijão branco; 1 cebola; 1,5 dl de azeite; 2 couve portuguesa; 3 dentes de alho; 0,5 kg de pão de milho; sal q.b..
Para o requentado: Restos da sopa de feijão branco; 3 dl de azeite; 6 dentes de alho; pão de milho.

Preparação
Sopa: Depois do feijão demolhado durante dez a doze horas, coze-se em água abundante com a cebola e um pouco de azeite. Quando o feijão estiver cozido, junta-se a couve cortada em caldo-verde grosso. Tempera-se com sal. Serve-se a sopa à noite, ao jantar, e cada um junta-lhe pão de milho esfarelado e rega-se com um fio de azeite.
Requentado: No dia seguinte, leva-se o resto da sopa ao lume, a ferver. Junta-se-lhe o azeite, os dentes de alho descascados e inteiros e pão de milho em quantidade suficiente para enxugar o caldo e se obter um preparado com aspeto de uma açorda.
Depois de se adicionar o pão, deixa-se o requentado ferver, mexendo sempre para evitar que se pegue ao fundo do tacho. Nesta altura e enquanto se mexe, se for necessário, junta-se mais azeite. Acompanha-se com bacalhau assado, carapaus ou sardinhas fritas.

 

Harmonização (proposta da CVR Tejo)
O vinho a escolher para harmonizar com o requentado deverá ser um tinto jovem da Região do
Tejo, sem estágio em madeira. Um vinho de lote em que predomine o Castelão ou a Trincadeira.

Texto e fotos: Livro ‘Os Sabores de nossa Terra’ – Associação para a Promoção Rural da Charneca Ribatejana.