//Redondo – Sopa de Tomate c/bacalhau, ovos e figos ou c/ carne frita
redondo sopa de tomate

Redondo – Sopa de Tomate c/bacalhau, ovos e figos ou c/ carne frita

Sopa de pão alentejano à base de tomate, que nesta altura do ano possuí um aroma mais intenso, onde as ervas aromáticas, são o ex-libris, com os orégãos, o poejo e a hortelã da ribeira, já seco, realçam o sabor tão característico desta sopa.

Acompanhado ou com bacalhau e ovos escalfados e/ou com carne de porco frita, este prato é rei nas cozinhas de Redondo, principalmente nas alturas do ano em que os figos existem com abundância por estas paragens, tornando-os o acompanhamento fresco para os dias de calor.

Coloca-se numa panela o azeite, cebola, alho, tomate e refoga-se, em seguida o pimento, a folha de louro, e as ervas aromáticas, os orégãos, o sal e a água, deixa-se ferver com o bacalhau e os ovos. Com carne frita, o processo é igual apenas frita-se a carne. Já numa terrina, acrescenta-se o pão devidamente falquejado em pequenas sopas.

Um pouco de História

No século XIX, na França, Espanha e Itália, o tomate passou a ser consumido e cultivado tornando-se popular em muitas receitas, mas o grande impulso foi conhecido através dos italianos, pelo famoso molho de tomate. É também um dos principais ingredientes da dieta mediterrânica, assim como o alho, a cebola e o azeite.

Ora, como não podia deixar de ser, estes ingredientes são os reis na cozinha alentejana, associados às ervas aromáticas, tornam as sopas alentejanas de uma riqueza inigualável, como seria de esperar, a sopa de tomate, faz parte da história da gastronomia alentejana, associada aos produtos da terra, para aconchego do corpo e da alma de quem trabalha no campo.

Apesar de ser uma sopa quente, o acompanhamento com figos, torna-a uma sopa refrescante, apesar de nos dias de hoje, estes últimos serem considerados um produto de luxo.

Harmonização

Para este tradicional e muito apreciado prato, propomos a harmonização com um clássico do concelho, um vinho multivarietal, vinho Branco, com as castas Fernão Pires, Arinto e Antão Vaz, dando mais estrutura ao vinho. Fernão Pires casta que possui um bom teor alcoólico e uma acidez baixa, com um intenso aroma floral, o Arinto dá-nos a frescura, através de pequenos apontamentos de maçã verde, lima e limão e por fim a casta Antão Vaz assenta-se firme, estruturado, colocando o corpo preciso no vinho para harmonizar com este prato.

Qualquer uma destas castas estão presentes nos vinhos do concelho.

‘Memória de Sabores’ – Homenagem

Assinalamos o 21º aniversário da elevação da Gastronomia Portuguesa a ‘bem imaterial do património cultural de Portugal, com uma merecida homenagem aos grandes impulsionadores da Gastronomia: aos Restaurantes do concelho de Redondo, por estarem sempre na linha de apoio e divulgação da gastronomia do concelho e da arte de bem servir e divulgar o que de melhor aqui se produz e confeciona.

 

Conteúdos produzidos pelo município de Redondo, para ‘Harmonizações, histórias e Memórias’, aquando da comemoração dos ‘21 Anos da Gastronomia Património Cultural’, promovida pela AMPV – Associação de Municípios Portugueses do Vinho)