//Receitas com Enlatados

Receitas com Enlatados

Em tempos de Isolamento, propostas de alimentação saudável à Base de Conservas de Pescado e Leguminosas.

Já está online um manual com dezenas de receitas saudáveis, saborosas, rápidas e fáceis de preparar e ao mesmo ‘sofisticadas’, que demonstram a grande diversidade de pratos que é possível fazer com conservas de atum, sardinha, cavala e leguminosas.

Portugal produz mais de 52 mil toneladas de conservas de pescado por ano e, no entanto, subsistem muitas dúvidas sobre o seu valor nutricional e alimentar e, ainda, como cozinhar de forma inovadora este alimento barato e facilmente acessível ao longo do ano. A maior parte das conservas de pescado à venda em Portugal, à data desta recolha, apresenta valores de sal sem excessos, proteína de grande qualidade e, em muitos casos, gordura de grande valor nutricional.

Agora, com a colaboração do Chefe Fábio Bernardino o Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS) da Direção-Geral da Saúde e a Estratégia Integrada para a Promoção da Alimentação Saudável (EIPAS) elaboraram este documento que nos recorda que as conservas sempre foram alimentos bastante procurados quando é necessário dispor de uma reserva alimentar de boa qualidade nutricional, segura e de grande durabili-dade.

Um assunto que ganha particular relevância no atual momento, em que compramos mais espaçadamente, porque estes alimentos voltam a ter uma grande importância na nossa alimentação. Felizmente, o mercado nacional oferece atualmente uma enorme variedade de conservas de pescado e de leguminosas (feijão, grão, ervilhas, lentilhas…) que são alimentos de grande valor nutricional. O modo de processamento melhorou substancialmente nos últimos anos e hoje é frequente encontramos conservas com teores de sal mais baixos, gordura de qualidade e matéria prima escolhida criteriosamente. Hoje mais do que nunca, devido à nossa reclusão em casa, com menos exercício físico e exposição solar, necessitamos das proteínas de elevada qualidade e dos minerais e vitaminas (como a vitamina D) presentes nas conservas de pescado.

O mesmo poderíamos dizer das leguminosas que por estes dias podem ser um importante fator de equilíbrio no nosso dia alimentar, reduzindo o nosso apetite e contribuindo eficazmente para a ingestão de nutrientes com capacidades protetoras do nosso organismo. Sabendo de tudo isto e já com a nossa despensa abastecida o passo seguinte é tentar perceber como tirar o máximo partido culinário destes alimentos, agora que teremos de conviver mais com eles.

Consulte aqui: https://www.dgs.pt/documentos