//Quatro Moscatéis ‘de’ Setúbal no ‘Top 10’ mundial

Quatro Moscatéis ‘de’ Setúbal no ‘Top 10’ mundial

No ‘Muscats du Monde’, Palmela classificou entre os 10 primeiros, quatro Moscatéis de Setúbal.

O grande vencedor foi o Moscatel Roxo de Setúbal Doc – Venâncio da Costa Lima – Reserva da Família 2016. A mesma empresa, localizada em Quinta do Anjo, no concelho de Palmela, colocou também entre os 10 primeiros o Moscatel de Setúbal Doc – Venâncio Costa Lima – Reserva da Família – 5 anos, registando um total de cinco medalhas de ouro e prata.
Produzidos também naquele território municipal, ficaram igualmente no Top, o Moscatel de Setúbal Doc – Adega de Palmela – 10 anos e o Moscatel Roxo de Setúbal Do – Casa Ermelinda Freitas – Superior 2010

Os quatro premiados foram distinguidos entre os 158 concorrentes de 16 países, que se apresentaram a concurso. Para além de Portugal; Austrália, Áustria, Brasil, Bulgária, França, Alemanha, Hungria, Itália, Moldávia, República Checa, Roménia, Rússia, Eslováquia, Eslovénia, Espanha.
Nesta 20ª edição do concurso que elege os ‘Melhores Moscatéis do Mundo’ que decorreu a 22 e 23 de julho de 2020 em Frontignan-la-Peyrade (Maison Voltaire), na região de Occitanie (França, um júri com mais de meia centena de especialistas internacionais atribuíram 21 medalhas de ouros e 31 medalhas de prata.

O ‘Melhor Moscatel do Mundo/2020’, com estágio de 4 anos em pipas de carvalho francês, apresenta “complexidade e concentração, cor âmbar escuro, com notas de flor de laranjeira, rosas, frutos secos e mel” e é comercializado pela Modelo/Continente Hipermercados, do Grupo Sonae.

O Moscatel de Setúbal Doc – Venâncio Costa Lima – Reserva da Família – 5 anos foi produzido a partir de lotes envelhecidos na adega e apresenta “cor âmbar, aroma fino e complexo, com toques de frutos secos e tâmaras e notas fumadas. Na boca é aveludado, intenso e doce, com um longo final.

O Adega de Palmela Moscatel de Setúbal 10 anos contou com maceração pelicular durante um período mínimo de 5 meses e neste lote foram usadas várias colheitas, onde a mais recente tem pelo menos 10 anos, permanecendo na cave da Adega em barricas de carvalho usadas, próprias para o envelhecimento de aguardentes. Apresenta uma grande complexidade aromática, evidenciadas notas de frutos secos, nozes, figos e mel.

Quanto ao ‘Moscatel Roxo de Setúbal Do – Casa Ermelinda Freitas – Superior 2010’, registou fermentação em cubas-lagares de inox com temperatura controlada até 1080 de densidade, seguindo-se a adição da aguardente vínica a 77% e maceração pelicular prolongada até Março do ano seguinte. Estágio de 6 anos em meias pipas de carvalho francês.