//Produtores de leite abandonam setor
leite

Produtores de leite abandonam setor

Com o aumento dos custos associados à produção de leite e a falta de apoios ao setor leiteiro, tem-se verificado o abandono da atividade por parte dos produtores.

“A produção de leite parece abandonada pelo Governo. O setor leiteiro é aquele que perde mais apoios na próxima PAC”, afirma a Associação dos Produtores de Leite de Portugal (Aprolep).

Segundo a Aprolep, entre março de 2021 e março de 2022, mais de 200 produtores abandonaram o setor, e muito se deve ao aumento dos preços a que se tem assistido.

O gasóleo agrícola aumentou 97%, o adubo 140%, o milho 77% e o bagaço de soja 45% o que representa um aumento de 53% de custo total para produzir um litro de leite, no entanto, o preço a que é vendido, só aumentou 23 %.

A Aprolep acredita que para o setor ‘sobreviver’ é necessário aumentar o preço a que o leite é comercializado, e que para salvar a sua produção “compete à indústria e à distribuição subirem com urgência o preço do leite ao produtor para 50 cêntimos”.

A associação e os produtores estão descontentes com o apoio que se tem verificado a nível nacional, em comparação com outros países da União Europeia. “Muitos produtores estão a pagar mais do que 50 cêntimos por kg de ração comprada e a vender o leite a um preço médio de 40 cêntimos/litro no continente português e de 33 cêntimos nos Açores, enquanto na Holanda o preço de referência para junho atinge os 56 cêntimos/litro de leite” e “Nas medidas extraordinárias devido à guerra na Ucrânia, os apoios propostos representam menos 50 euros/vaca do que os vizinhos espanhóis vão receber, menos 37%”, sublinha a Aprolep.

A seca nas regiões do interior e na zona sul do país também contribuem para este aumento, verificando-se uma menor produção de forragem, devido às “situações de severas limitações de água para poder produzir milho silagem, nomeadamente barragens apenas com um terço da água disponível”, acrescenta a associação dos produtores.

 

Fonte: Lusa