//Preço de Vinho do Alentejo exportado atinge valor máximo
aumento preço do vinho do alentejo

Preço de Vinho do Alentejo exportado atinge valor máximo

Preço dos vinhos do Alentejo exportados nos primeiros 10 meses de 2021 atingiu o “valor máximo dos últimos cinco anos”, revelou a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), prevendo resultados bastante positivos.

O Preço de Vinho do Alentejo exportado atingiu o valor máximo dos últimos cinco anos e as vendas para os mercados internacionais acompanharam esta tendência positiva, evidenciando uma valorização acentuada do preço médio por litro, que chegou aos €3,46. Esta subida atinge o valor máximo dos últimos cinco anos e representa um aumento de 4,4% face período homólogo de 2020, reconhecimento que foi acompanhado por um incremento de 14% em valor e de 9% em volume, tendo-se exportado um total de 16,3 milhões de litros de vinho.

“Os resultados registados, tanto ao nível do preço médio por litro, como do aumento das exportações dos vinhos da região, dão-nos fortes sinais de que o ano de 2021 poderá ser encerrado com chave de ouro. Naturalmente que sentimos as dificuldades decorrentes da situação pandémica, nomeadamente no que diz respeito ao mercado nacional, às carências de mão de obra ou aos atrasos no transporte de mercadorias. No entanto, este balanço dá-nos um novo alento e encoraja os produtores a continuarem a afirmar o Vinho do Alentejo além-fronteiras”, afirma Francisco Mateus, presidente da Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA).

Para a CVRA o preço pode ser um fator decisivo para o crescimento em mercados estratégicos, uma vez que há cada vez mais consumidores que valorizam o facto de o preço médio ser superior para adquirir um vinho. “O preço é um selo de qualidade e posicionamento”, esclarece Francisco Mateus. Neste balanço destacam-se como principais mercados que alavancaram os resultados positivos atingidos o Brasil (+6% em valor e +1% em litros de vinho), a Suíça (+7% em valor e +3% em litros de vinho) e a Polónia (+17% em valor e +11% em litros de vinho).

Ainda a registar um crescimento acentuado face ao ano de 2020 estiveram o Reino Unido, com uma subida de 88% em valor e 69% em volume de vinho importado, e o mercado espanhol que duplicou as suas compras, com uma subida de mais 101% em valor e em volume. Em destaque encontramos também o mercado australiano, com um crescimento de 211% em valor e 236% em volume, tendo passado, assim, a integrar a lista dos 20 principais destinos de exportação de vinhos do Alentejo.

Os dados mostram ainda que os vinhos certificados com Denominação de Origem Controlada (DOC) tiveram um incremento de 5,6% no seu valor médio por litro, tendo, por sua vez, o vinho Regional, crescido 3%.

SOBRE A COMISSÃO VITIVINÍCOLA REGIONAL ALENTEJANA

A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) foi criada em 1989 e é responsável pela proteção e defesa da DOC Alentejo e da Indicação Geográfica Alentejano, certificação e controlo da origem e qualidade, promoção e fomento da sustentabilidade. O Alentejo é líder nacional em vinhos certificados, com cerca de 40% de valor total das vendas num universo de 14 regiões vitivinícolas em Portugal. Com uma área de vinha de 22,9 mil de hectares, 30% da sua produção tem como destino a exportação para cinco destinos principais, designadamente Brasil, Angola, EUA, Polónia e China.

Uma das duas únicas regiões do mundo que produz Vinho de Talha há mais de dois mil anos, o Alentejo é ainda detentor de uma iniciativa pioneira, o “Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo”, que tem como objetivo melhorar as práticas utilizadas nas vinhas e adegas, produzindo uvas e vinho de qualidade e economicamente viáveis.