//Portugueses querem comer mais peixe

Portugueses querem comer mais peixe

Estudo revela que portugueses afirmam que gostariam de comer peixe mais regularmente.

De acordo com o maior estudo internacional do sector, 76% dos consumidores referem que querem consumir mais peixe do que consomem atualmente. 80% dos inquiridos em Portugal, o país europeu com maior consumo per capita de produtos do mar, afirmam que gostariam de comer peixe mais regularmente

O Índice de Consumidores de Produtos do Mar, um estudo anual realizado pela Kantar TNS em nome do Norwegian Seafood Council, traça um mapa sobre as preferências e comportamentos dos consumidores de produtos do mar, em mais de 25.000 inquiridos e em 25 mercados. É o maior estudo realizado e oferece uma visão estimável sobre os padrões e tendências de consumo de produtos do mar.

Os mercados asiáticos estão fortemente alinhados com esta tendência e 9 em cada 10 consumidores na China e Tailândia partilham a perspetiva de que gostariam “de consumir mais produtos do mar do que consomem atualmente.” Na Europa, 80% dos inquiridos em Portugal, o país com maior consumo per capita de produtos do mar, afirmam que gostariam de comer peixe mais regularmente, e 81% dizem o mesmo em Itália.
Segundo o estudo, em Portugal, 83% consome peixe uma vez ou mais por semana, 66% consome duas vezes ou mais, sendo que somente 5% consome este mesmo produto uma vez por mês. “É interessante que nos mercados e nas faixas etárias onde as pessoas já consomem muitos produtos do mar, queiram consumir ainda mais. Em todos os mercados, 81% dos que pertencem à faixa etária entre 50 e 65 anos referem que querem comer mais produtos do mar, contra 73%, dos 20 aos 34 anos”, destaca Lars Moksness, analista do Norwegian Seafood Council.

De acordo com o estudo, apenas cerca de metade da população indica que come produtos do mar duas ou mais vezes por semana, que é o recomendado pelas autoridades de saúde.
“O estudo deste ano oferece uma visão interessante de como a pandemia da Covid 19 pode afetar o futuro do mercado de produtos do mar. A pandemia mudou os nossos hábitos diários definitivamente a curto prazo, mas muitas destas mudanças também se podem manifestar a longo prazo. Por exemplo, vemos um foco maior na alimentação saudável e esta é uma grande oportunidade para o nosso setor.

As descobertas diferem um pouco entre regiões e mercados, mas a opinião é quase unânime, as pessoas afirmam que gostariam de comer mais produtos do mar do que comem atualmente”, diz Lars Moksness, analista do Norwegian Seafood Council. “Embora haja consenso nesta afirmação, as razões para se consumir mais produtos do mar diferem em muitos mercados. A saúde e o sabor são, em geral, os motivos mais importantes para o seu consumo, mas também vemos uma crescente importância na sustentabilidade e no rigor na segurança alimentar”, afirma.