//Portugal em 2º lugar na exportação de vinho para o Brasil

Portugal em 2º lugar na exportação de vinho para o Brasil

O Chile ficou em 1º lugar com vendas de 20,4 milhões de garrafas e Portugal ocupa o 2º lugar com um total de 8 milhões de garrafas

A informação resulta de dados do Ministério do Desenvolvimento, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) do Brasil e foi divulgada pela comunicação social brasileira, baseada num recente estudo.

Assim, de acordo com o documento divulgado pelo MDIC, entre janeiro e junho deste ano, o país que mais vendeu vinhos para o Brasil foi Chile, que ficou em 1º lugar com vendas de 20,4 milhões de garrafas, seguido de Portugal que ocupa assim o 2º lugar com um total de 8 milhões de garrafas. Segue-se a Argentina, em 3º lugar com um total de 7,4 milhões de garrafas, a Itália em 4º lugar com 5,8 milhões de garrafas; Espanha ficou no 5º lugar com 3,5 milhões de garrafas e França, em 6º lugar com 3 milhões de garrafas.

Um site brasileiro explicava que “os produtores portugueses vêm investindo em estratégias de marketing para conquistar o público no Brasil. Cada vez mais, eles querem permanecer em lugar de destaque no mercado, mostrando a melhor referência e os melhores produtos que Portugal pode oferecer a vários tipos de pessoa, mesmo com os impostos mais elevados e com a questão cultural do elevado consumo de cerveja no país.”

Refira-se ainda a referência dos media brasileiros no que se refere à participação portuguesa no concurso ‘Sélections Mondiales des Vins’: “Portugal levou, ao todo, 66 medalhas neste conceituado concurso que é uma das maiores e mais prestigiadas competições de vinhos finos do mundo. Dentre o total de medalhas, 3 delas foram Gran Ouro, 43 de ouro e 20 de prata.”

Um dos artigos publicados acrescenta mesmo: “Ao adquirir um vinho português, é imprescindível atentar-se aos rótulos para entender sua qualidade e suas especificidades. Os vinhos denominados Regionais possuem uma qualidade superior, pois 85% das uvas são produzidas em uma mesma região, já os vinhos de Mesa são produzidos com uvas de diferentes regiões e, muitas vezes, os detalhes minuciosos que enólogos e enófilos prezam não são especificados no rótulo.”