//‘Petiscos vegetais’ da Beira

‘Petiscos vegetais’ da Beira

Botelha, Cherovias, Beringelas e Peixinhos da Horta.

Estas são propostas integradas na ‘Carta Gastronómica da Estrela Sul’, um território localizado, como o nome indica, a sul da Serra da Estrela.

Trata-se de ‘vegetais’ que a maioria das pessoas cultivavam e que assim aproveitavam num processo cuja fritura constituía uma forma de conservação. O que havia na horta, dependendo também do período do ano, era passado por polme com farinha e ovos e havia quem também juntasse um pouco de leite.

Depois de confecionado “ia-se comendo” enquanto duravam.

Botelha
A botelha é uma variedade de abóbora que após cortada em talhadas finas é colocada em água fria com sal cerca de 12 horas. Depois de enxutos, os pedaços passam pelo polme e vão a fritar em azeite.

Cherovias
As cherovias (ou pastinacas) pertencem à «família» da cenoura, têm casca branca-creme e um leve sabor a anis. Como precisam de frio e até de geada para desenvolver o seu sabor único, são muito cultivadas nesta região.

Para as preparar, são cozidas em água e sal e cortadas em fatias finas, no sentido longitudinal. Passadas por polme, vão a fritar em azeite.

Peixinhos da horta
Para os peixinhos da horta o feijão verde é cozido (não demasiado) com água e sal. Depois de escorridas, as vagens passam por polme e vão a fritar em azeite bem quente.

Beringelas
As beringelas são cortadas às rodelas e colocadas em água e sal durante 20 minutos. Depois de enxutas e envolvidas em polme vão a fritar em azeite.

Nota – Há quem substitua a imersão colocando pedras de sal nas rodelas durante algum tempo para lhes diminuir a água

(Os pratos apresentados foram confecionados no Restaurante «A Mila» em S. Vicente da Beira)