//Para não comermos peixe ‘com’ plástico

Para não comermos peixe ‘com’ plástico

Iniciativa já conta com quase 3 mil pescadores que ajudam a combater o lixo no mar.

Projeto ‘A pesca por um mar sem lixo’ quer contar com os pescadores para diminuir o lixo, nomeadamente, os plásticos no mar e, assim,contribuir para que possamos comer peixes e mariscos livres de ‘particulas’ de plásticos que acabam no nosso organismo.
Quando foi lançada, em novembro de 2015, a iniciativa tinha como principais objetivos melhorar a gestão de resíduos a bordo das embarcações de pesca e nos portos de pesca e sensibilizar os pescadores para a importância da adoção ou manutenção de boas práticas ambientais.
Quase cinco anos depois os objetivos estão alcançados em 15 portos nacionais, envolvendo 714 embarcações, que representam 2.747 pescadores. Já foram recolhidos 2.035 metros cúbicos de resíduos indiferenciados e 792 metros cúbicos de embalagens, num esforço que envolve 26 organizações de produtores e associações e 50 outras entidades, como municípios, empresas de recolha de resíduos, ONG e administrações portuárias.

No passado mês de julho assinalou-se a entrada neste grupo, do porto de pesca de Cascais que, como foi sublinhado na cerimónia que assinalou a ‘nova adesão’, conta no arranque com a adesão de 29 embarcações cascalenses.
Coordenada pela Docapesca, esta iniciativa une organizações de produtores, armadores e pescadores, bem como entidades públicas e privadas dos portos, visando a melhoria das condições ambientais da zona costeira portuguesa.

“A Pesca por um Mar Sem Lixo” é um projeto integrado num dos compromissos voluntários de Portugal no âmbito do objetivo do Desenvolvimento Sustentável 14-Oceanos, promovendo a recolha dos resíduos gerados a bordo e capturados nas artes de pesca e disponibilizando as infraestruturas adequadas para a sua receção em terra e posterior valorização.
Como é fácil perceber, trata-se de uma iniciativa de interesse para os pescadores, mas também para os consumidores pois contribui para a melhoria das condições ambientais da zona costeira portuguesa e, consequentemente, para a preservação dos ecossistemas marinhos.

‘A Pesca por um Mar sem Lixo’ já foi implementado em Peniche (2016), Ilha da Culatra e Aveiro (2017), Figueira da Foz e Sesimbra (2018), Póvoa de Varzim, Setúbal, Matosinhos, Sagres, Portimão, Quarteira, Olhão, Nazaré e Sines (2019) e agora Cascais.

A Docapesca – Portos e Lotas é uma empresa do Setor Empresarial do Estado tutelada pelo Ministério do Mar, que tem a seu cargo, no continente, o serviço da primeira venda de pescado e o apoio ao sector da pesca e respetivos portos, dispondo de 22 lotas e 37 postos.
Foto – Caranguejo: Greenpeace