//Pedestre 142, os ‘sabores ‘do Arouca Geopark
Sabores do Arouca Geopark

Pedestre 142, os ‘sabores ‘do Arouca Geopark

Lançado em 2016, o Geofood é um projeto do Município de Arouca e da Associação Geoparque Arouca que convida a visitar o território pelos sabores, os produtos e os menus. É um projeto de sustentabilidade alimentar promotor de estilos de vida saudáveis, cujo objetivo é integrar alimentação e território, turismo e saúde, sustentabilidade e sabor.

Neste momento, participam no projeto 6 restaurantes, entre os quais o Pedestre 142.

De forma a integrar este projeto, o Pedestre 142 comprometeu-se a incluir, tal como outros restaurantes da vila, produtos cem por cento originários de Arouca: tudo o que é servido neste restaurante é produzido por agricultores locais, da carne arouquesa aos legumes e aos doces. O nome é inspirado nos trilhos pedestres de Arouca e no número 142 que tem na porta.

Aqui, o menu é repleto de ingredientes locais, que convidam a uma viagem pelos sabores de Arouca: começando pelas entradas, podemos encontrar presunto serrano, queijo da serra com orégãos e azeite, passando pelos pratos de carne como a posta de vitela à arouquesa com batata a murro, esparregado e arroz de feijão e Cabrito da serra assado no forno com batata assada e arroz de forno.

Os sabores deste geoparque são bem evidentes e para além disso, todo o espaço envolvente evoca o território e a natureza do Geoparque, a começar nas riscas amarela e vermelha do logotipo que remetem para a sinalética de montanha, passando pela madeira que inspira a decoração e que está presente logo à entrada, no balcão, e que serve de base ao menu.

sabores do arouca geopark

Neste espaço da família Araújo, a especialidade é a posta arouquesa, carne criada na terra, assim como a vitela arouquesa, o cabrito ou o borrego, que vem acompanhada de batata a murro, legumes e esparregado. 

A comida é servida em tábuas de madeira. Nas sobremesas, a carta privilegia os doces conventuais e regionais apresentando castanha doce, morcelas, barriga de freira ou charutos, do único produtor de doces conventuais de Arouca. Já os vinhos estão à vista, numa garrafeira com mais de uma centena referências. O Pedestre 142 encontra-se situado nas costas do centro da vila, com olhos postos nos passadiços do Paiva.

 

Arouca Geopark

O Arouca Geopark, correspondendo à área administrativa do Concelho de Arouca, é reconhecido pelo seu excecional Património Geológico de relevância internacional, com particular destaque para as Trilobites gigantes de Canelas, para as Pedras Parideiras da Castanheira e para os Icnofósseis do Vale do Paiva. No Arouca Geopark a geodiversidade expressa-se de forma singular nas suas paisagens, pontuadas por montanhas altaneiras e esculpidas por rios límpidos, que abrem caminho por vales encaixados e que, no seu todo, servem de berço para toda a biodiversidade que existe neste território.

0s 41 geossítios inventariados neste território classificado, são locais de interesse geológico que, representam a geodiversidade existente e que apresentam elevado valor ao nível educativo, turístico e/ou científico. Os montes e vales, os rios e bosques do Arouca Geopark são habitats riquíssimos, abrigando espécies que vivem de forma livre, independente e autónoma, aparecendo, aos nossos olhos, com todo o seu esplendor. A biodiversidade do Arouca Geopark, desenvolve-se ao longo de uma vasta área protegida pela Rede Natura 2000, uma rede ecológica criada para o espaço Comunitário da União Europeia, resultante da aplicação da Diretiva Aves e Diretiva Habitat. Depois de se deliciar com as paisagens de Arouca e com as páginas da história é possível terminar esta visita à mesa e escolher entre a posta arouquesa, os medalhões de vitela, o bife de arouquês ou a costeletas de vitela grelhada. Tudo acompanhado com um vinho verde desta região e terminando com um manjar de doces conventuais. 

Fonte: http://aroucageopark.pt/pt/