//“País está cheio de entendidos em Enoturismo”

“País está cheio de entendidos em Enoturismo”

“Aumento de pessoas entendidas nesta matéria é diretamente proporcional aos dinheiros disponíveis”, diz o presidente da Rota da Bairrada.

Na passada sexta-feira, dia 5, a Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV) promoveu a primeira de quatro emissões online denominadas ‘Conversas de Baco, na qual participou um conjunto de convidados ligados ao enoturismo.

Na referência a algumas das declarações dos participantes, indicamos o tempo de gravação (time code) das intervenções, para facilitar a eventual visualização da emissão a que se poderá aceder através do link:https://www.facebook.com/ampvinho/videos/440820077065714

Presidente da Associação das Rotas de Vinho de Portugal (ARVP) e da Rota de Vinhos da Península de Setúbal (RVPS).
(13.30) Ângelo Machado, no que se refere à Rota de Vinhos a que preside – em representação da Adega de Palmela – sublinhou o facto de a pandemia ter ‘obrigado’ as adegas e outros associados a acelerar a necessária modernização, nomeadamente no que respeita à digitalização e comunicação online. Sublinhou ainda que a própria RVPS, perante o novo surto, está agora a dinamizar as vendas de vinhos dos associados através de plataformas online.


Presidente da Rota da Bairrada e Vice-Presidente do município de Anadia.
(18.50) Jorge Sampaio lembrou que o enoturismo continua na moda e vai continuar a desempenhar um importantíssimo papel no alargamento da oferta turística a praticamente todo o país.
Prova disso, afirmou, é o facto de Portugal estar atualmente “cheio de entendidos em enoturismo”, acrescentando que “com a existência de fundos comunitários, o aumento de pessoas entendidas nesta matéria é diretamente proporcional aos dinheiros disponíveis”.
(1.03.25) em pleno doutoramento em enoturismo (Rotas de Vinho), o presidente da Rota da Bairrada acentuou a necessidade de apostar na formação, nos vários níveis de ensino, referindo que algumas universidades estão já a oferecer cursos nesta área turística.

Presidente da Federação das Confrarias Báquicas de Portugal
(24.45) Pedro Castro Rego, lembrou as dificuldades que as Confrarias Báquicas enfrentam na sua função de dinamização das tradições vitivinícolas das regiões que representam.
Para o Grão-Mestre da Confraria Enófila Nossa Senhora do Tejo, ”após a pandemia nada será como antes e as confrarias, inevitavelmente, terão que se adaptar aos novos tempos”.

Diretor do Museu do Douro
(28.45) Fernando Seara revelou que em 2020 chegou a registar quatro mil pessoas na inauguração (online) de uma exposição, quando antes o número de presenças não excederia as 150. Este exemplo positivo não compensa, no entanto, a necessidade do contacto físico com os visitantes que, com a ‘abertura’ verificada em agosto do ano passado, permitiram alcançar um recorde de bilheteira.


‘Plataforma Smartfarmer’ (venda direta entre o produtor e o consumidor)
(37.45) João Fernandes, presidente da Oikos – Organização Não Governamental para o Desenvolvimento, que gere a referida plataforma, destaca a importância do apoio a pequenos produtores de vinhos e outros produtos regionais e revelou que a organização a que preside se prepara para promover uma rede de lojas físicas, de apoio aos turistas que, em conjunto com a atividade digital, deverá aumentar a capacidade de venda e marketing de produtos e territórios, sobretudo de pequenos produtores no interior de Portugal.

Inventrip – Plataforma Ibérica de Turismo Digital
(44.00) Augusto Ramos, administrador da empresa espanhola que gere este projeto, lembrou que “Portugal e Espanha, em conjunto, constituem o principal destino turístico do mundo” o que justifica a aposta num mercado ibérico para o enoturismo.
Com um conjunto de territórios portugueses com produção vitivinícola já incluídos, nomeadamente municípios localizados junto ao Alqueva, o gestor explicou, com exemplos, as potencialidades desta ferramenta de apoio ao turista.

AMPV – Associação de Municípios Portugueses do Vinho
(51.00) José Arruda, secretário-geral da AMPV, fez o balanço da atividade da associação, que tem sido intensa pelo recurso ao online e destacou os principais projetos em curso, nomeadamente o livro ‘Territórios Vitivinícolas, Corticeiros e Olivícolas de Portugal’ a lançar no próximo mês de junho e, com o apoio do técnico de comunicação Sandro Funina, foi ainda apresentada a plataforma enoturismo.pt, que abordará a oferta em uma centena de municípios integrados nas 14 regiões vitivinícolas e será apresentada na 5ª Conferência Mundial de Enoturismo a realizar brevemente em Reguengos de Monsaraz.

As ‘Conversas de Baco’ prosseguem na próxima sexta-feira dia 12, às 18 horas, com o tema ‘Beber com Moderação /Wine in Moderation’.
Segue-se, a 19 fevereiro, o ponto de situação da AMETUR- Associação Mundial de Enoturismo, atualmente presidida por Portugal e a apresentação da 5ª Conferência Mundial de Enoturismo que acontecerá em Reguengos de Monsaraz.
A 26 fevereiro o tema será: ‘Viagens com motivação enogastronómica’.