//Ouro de França para Ermelinda Freitas

Ouro de França para Ermelinda Freitas

Um total de 9 medalhas (6 de ouro e 3 de prata) na competição de vinhos ‘Citadelles Du Vin’

A Casa Ermelinda Freitas, localizada em Fernando Pó, no concelho de Palmela e na Região Vitivinícola da Península de Setúbal conquistou um total de 9 medalhas (6 de ouro e 3 de prata) na mundialmente conhecida competição de vinhos “Citadelles Du Vin” que se realiza todos os anos em Bordéus, França.
As medalhas de ouro foram atribuídas aos vinhos, Dona Ermelinda Branco Reserva, Vinha da Valentina Branco Premium, Vinha do Rosário Reserva, Vinha do Rosário Syrah, Valoroso Reserva e Vinha do Fava Touriga Nacional, as medalhas de prata – Casa Ermelinda Freitas Sauvignon Blanc & Verdelho, Dona Ermelinda Reserva e Vinha do Rosário Selection.

Em comunicado, a empresa congratula-se por viver “no melhor ano de sempre no que toca a prémios e distinções pois nos primeiros três meses do ano já obtivemos um total de 38 medalhas de ouro e 21 medalhas de prata, destacando-se o prémio de Best Of Show Península de Setúbal, atribuído ao vinho Vinha do Torrão Reserva no concurso Mundus Vini 2020 – Edição Primavera, bem como as três ProdExpo Star, atribuídas aos vinhos Vinha da Valentina Reserva Signature, Vinha do Fava Touriga Nacional 2018, Valoroso Chardonnay 2018, na competição ProdExpo 2020 que decorre na Rússia”.
A Casa Ermelinda Freitas sublinha ainda a conquista do grande prémio obtido no concurso Inglês de Escanções: Sommelier Wine Awards que se realiza todos os anos, sendo eleita pelo segundo ano consecutivo como como produtor europeu do ano. É a primeira vez que esta distinção é atribuída duas vezes consecutivas, a um produtor de vinhos tranquilos português. A empresa considera que esta é “uma distinção máxima para a Casa Ermelinda Freitas, bem como para os vinhos de Portugal”.
Recorde-se que a empresa assinala em 2020 ‘100 Anos de Vinhas & Vinhos’ mas, devido à pandemia, foi forçada a adiar todo um conjunto de atividades que havia programado para assinalar o primeiro século de vida empresarial.

Casa Ermelinda Freitas
A empresa, iniciada em 1920 por Deonilde Freitas, continuada por Germana Freitas e mais tarde por Ermelinda Freitas, sempre dedicou especial atenção ao vinho. Pelo desaparecimento precoce do seu marido, Manuel João de Freitas, Ermelinda deu continuidade à empresa com colaboração da sua filha única, Leonor, que embora com formação fora da área vitivinícola, tomou a liderança da empresa reforçando assim a presença feminina na sua gestão.