//“Onde está o Robalo?”

“Onde está o Robalo?”

Este é o tema da campanha apresentada pelo município minhoto de Esposende.

Afirmar Esposende como um destino gastronómico de peixe e marisco é o objetivo deste município minhoto que apresentou recentemente a campanha “Onde está o Robalo?”

O presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira explicou que a estratégia do município assenta no desenvolvimento económico e na promoção do bem-estar da população, com várias linhas de ação, onde se integra a promoção do território e dos seus produtos endógenos. Numa altura em que o setor da restauração se debate com dificuldades decorrentes da pandemia de Covid-19, “esta campanha afigura-se como mais um incentivo para reforçar o desenvolvimento económico do concelho”, afirmou Benjamim Pereira.

Enquanto fator de atratividade e de promoção do território, a gastronomia tem merecido uma atenção especial do Município, referiu Benjamim Pereira, apontando o evento “Março com Sabores do Mar” como exemplo e uma aposta ganha. “A gastronomia de Esposende vale como um todo” afirmou o autarca, recusando a ideia de um prato identitário, o que, no seu entender, limita a oferta diferenciadora dos produtos do mar disponíveis. Benjamim Pereira não tem dúvidas de que Esposende há muito é reconhecido como um destino de peixe e marisco, pelo que importa reforçar e afirmar essa caraterística. Assinalou ainda que esta ação se insere na estratégia de valorização e promoção dos produtos endógenos de Esposende, contribuindo também para fomentar as relações comerciais entre os setores da pesca e da restauração.

O Vereador com as áreas funcionais do Turismo e Desenvolvimento Económico, Sérgio Mano, reiterou que o objetivo do Município passa por construir toda uma identidade gastronómica associada aos peixes e mariscos, criando, desta forma, novas ferramentas para que os empresários locais possam catapultar os seus restaurantes, promovendo este território e toda a sua oferta turística. Clarificou que anualmente será promovido um peixe ou marisco diferentes, assegurando constante dinamização e envolvimento de todos no projeto, sendo que o ponto de partida é o robalo.

Sérgio Mano deu ainda nota de, no âmbito desta estratégia global, estão na forja mais dois projetos; o Km 0, que visa o escoamento dos produtos locais, entre os quais o peixe e os hortícolas, diretamente para os restaurantes, criando uma rede entre produtores e estabelecimentos; e o Certificado de Origem, que conferirá a certificação dos produtos endógenos de Esposende, como a doçaria ou os hortícolas.

A campanha apresentada, à qual aderiram 31 restaurantes, vai decorrer até ao final do mês de setembro, com um conjunto de ações e de suportes de promoção, englobando também a realização de workshops, com o chefe Marco Gomes e com a nutricionista Elsa Madureira.