//Novo vinho celebra o Portugal contemporâneo
vinho integraal celebra portugal

Novo vinho celebra o Portugal contemporâneo

Chama-se InteGraal, é um Cabernet Sauvignon de 2018 com 30 meses de estágio em barrica, de edição limitada. 

Trata-se de uma iniciativa dos vinhos APRT3, um projeto concebido por Luís Mendes, enfermeiro em S. Francisco Xavier, Diogo Yebra, sommelier no JNcQUOI Avenida e Guilherme Maia, viticultor. Com esta criação pretendem celebrar o Portugal contemporâneo, da fusão e do multiculturalismo.

“Cada garrafa pretende ser uma obra de arte, única e colecionável”, pode ler-se em comunicado. O rótulo é composto por 650 peças de cerâmica produzidas e pintadas à mão pelo artesão Paulo Rocha no atelier da Azulcer e a banda sonora esteve a cargo do artista Stereossauro que criou uma composição para acompanhar o vídeo que mostra a produção da música, da cerâmica e do vinho, acessível através de um código QR em cada garrafa.

vinho InteGraal celebra portugal

De uma só barrica e com mais de dois anos de envelhecimento, este vinho foi produzido de forma artesanal com uvas Cabernet Sauvignon da região de Alenquer. Fermentado de forma natural com uvas apanhadas à mão, foi uma vindima que nunca mais se repetiu. InteGraal é o nome que agrega as várias artes, do líquido, da música, da cerâmica, mas remete também para o Santo Graal, como concepção de obra, do belo, do efêmere.

O vinho, o azulejo, o fado, são sinónimos de portugalidade, mas a sua origem assenta na mistura de influências, culturas e povos de várias épocas. Com esta criação pretende-se celebrar o Portugal contemporâneo, da fusão e do multiculturalismo. 

“Quando fazemos vinhos tão especiais como este, irrepetíveis, pensamos na garrafa como veículo de arte em estado líquido, porque foi criada uma estética, na cor, no paladar, no nariz. Porque não também a garrafa transportar uma mensagem e ser ela mesma uma obra de arte? Já se viram azulejos impressos em papel, mas nunca uma verdadeira peça de cerâmica como rótulo de um vinho.” explica Guilherme Maia, enólogo e viticultor. “O objetivo foi criar uma verdadeira experiência sensorial que apela aos 5 sentidos, audição incluída.” acrescenta Diogo Yebra, enólogo e Sommelier no JNcQUOI.

O artesão Paulo Rocha produziu e pintou à mão 650 azulejos únicos que pudessem substituir o papel no rótulo da garrafa, com motivos tradicionais que nos remetem para a herança árabe da região sul de Portugal.

Esta ideia levou o artista Stereossauro a trabalhar a trilha sonora com base na guitarra portuguesa que nos remete tanto para o Fado como para os ritmos do Oriente. Bruno Brandão ficou a cargo do videoclip que acompanha a produção das várias artes, numa composição visual que é o fio condutor do projeto.

Luís Mendes, enólogo e enfermeiro em S. F. Xavier, afirma que “é um privilégio colaborar com estes talentos para criar algo tão especial. Acreditamos numa política de comércio justo, desde a agricultura às lojas. O campo da arte e da cultura pode fazer parte desse ciclo. Ao criarmos estas sinergias fazemos com que a cultura e os artistas cheguem a mais pessoas. Às vezes até de forma mais natural porque estão fora do seu habitat, das paredes das galerias, do museu.”

Sobre os Vinhos APRT3

Os vinhos APRT3 são um projeto a seis mãos, criado por Luís Mendes, enfermeiro em S. Francisco Xavier, Diogo Yebra, sommelier no JNcQUOI Avenida, licenciado, e Guilherme Maia, viticultor.

Os três conheceram-se no mestrado de viticultura e enologia do ISA e juntos decidiram começar a produzir o seu próprio vinho. Começaram em 2018, com uma barrica e uma garagem e hoje exportam para o mundo todo, já compraram uma adega e têm a sua vinha. Continuam a viajar todos os anos pelo país e a vindimar pequenas parcelas de uvas tradicionais de forma a preservar e promover o nosso património vitivinícola.

Luís Mendes, pai de família, enfermeiro em S. Francisco Xavier, Surfista, entre outras ocupações, traz a vertente experimental, baseada em pesquisas científicas. Além das ideias, traz também o rigor financeiro e a gestão do dia-a-dia. Diogo Yebra, Sommelier no JNcQUOI Avenida, licenciado, providencia o toque artístico e a forma de comunicar, aliado ao conhecimento do mercado que dispõe por trabalhar no meio.

Guilherme Maia, viticultor, licenciado em Agronomia, toma a dianteira nas ações de vinha e adega por ter nascido no mundo do vinho. É o trator do grupo nas horas mais longas.

 

Fotos: https://www.facebook.com/vinhosaparte; https://vinhosaparte.com/