//Nova vida para o «Café Central» de Reguengos

Nova vida para o «Café Central» de Reguengos

Em Reguengos de Monsaraz, o centenário Café Central vai transforma-se em Centro Interpretativo e de Acolhimento Turístico.

Dificilmente se encontraria melhor «sorte» para um tão emblemático espaço de convívio nesta terra alentejana, como a de receber os visitantes e dar-lhes informações que lhes facilitem perceber onde melhor se come e o que de melhor se pode beber, para além de outros «conselhos amigos».

4.1E tudo vai acontecer porque o Município de Reguengos de Monsaraz candidatou aos fundos comunitários a criação de um Centro Interpretativo e de Acolhimento Turístico no edifício histórico do antigo Café Central que encerrou no ano passado, quando era já um dos cafés centrais em funcionamento há mais tempo no país.

Ali se concentrará a oferta do concelho disponibilizada aos turistas, como o vinho, a gastronomia, os azeites, a olaria, os enchidos, os queijos, as mantas alentejanas, as ervas aromáticas, o pão, entre outros. Para além da degustação e venda de produtos locais e regionais o projeto prevê para este espaço uma zona de atendimento turístico e também uma área de exposição.

O contrato de arrendamento do antigo Café Central já foi ratificado em Reunião de Câmara e o edifício receberá obras de beneficiação e algumas alterações de organização do espaço antes de abrir ao público.

O Café Central foi projetado pelo arquiteto António José Dias da Silva, autor também da Igreja Matriz de Reguengos de Monsaraz e da Praça de Toiros do Campo Pequeno. Inaugurado em 1877, o Café Central encerrou no ano passado e era um dos cafés centrais em funcionamento há mais tempo no país.

José Calixto, Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, lembra que “a história deste edifício revela muito da riqueza sociológica do concelho, pois foi durante muitas décadas o local de encontro dos reguenguenses, tanto ricos como pobres”.