//Naco de boi com vinho tinto

Naco de boi com vinho tinto

Este Naco de Boi com Vinho Tinto é um prato tipicamente cartaxeiro.

Situado na margem direita do Tejo, o concelho do Cartaxo é considerado uma das grandes referências na produção de vinho, a ponto de ser chamado ‘Capital do Vinho’. É, pois, natural que alguns dos seus pratos típicos incluam entre os seus ingredientes este produto emblemático, cuja participação na culinária tem raízes na tradição que as populações têm conseguido preservar. Este Naco de Boi com Vinho Tinto é um prato tipicamente cartaxeiro. Mas, para além do vinho tinto, que deve ser selecionado criteriosamente, de acordo com o que for escolhido para acompanhar a refeição, para a sua confeção deve optar-se, preferencialmente, pela carne de animais bravos pois, como refere a Confraria Gastronómica do Toiro Bravo, “(…) são animais criados em regime extensivo, vivendo da natureza, com um maneio que não comporta na sua alimentação fatores de crescimento, apresenta um grão muscular fino e delicado e, quando a carne devidamente maturada é sujeita a manipulações culinárias, exibe aroma e sabor de excelência”.
Todas estas exigências fizeram deste prato típico uma especialidade gastronómica que atualmente faz parte das ementas dos melhores restaurantes do Ribatejo.

Ingredientes
4 nacos de boi, com 150 g aproximadamente cada, 1 cenoura, 1 tomate, 1 cebola, 4 dentes de alho, 200 g de margarina, 1 l de vinho tinto, 1 folha de louro, 1 ramo de salsa, piripiri, sal e pimenta, q.b.

Preparação
Dispõem-se os nacos num recipiente, temperam-se com sal e pimenta, junta-se o vinho tinto e deixa-se marinar durante 24 horas. Passado este tempo, leva-se um tacho ao lume com a margarina, os alhos picados, a cebola cortada em quartos, a cenoura cortada em rodelas e a folha de louro. Deixa-se refogar até alourar. Junta-se o tomate pelado e cortado em cubos, o ramo de salsa e deixa-se cozinhar mais um pouco. Adiciona-se então a carne com a marinada, tempera-se com piripiri e deixa-se estufar até ficar bem tenra. Coloca-se a carne numa travessa, passa-se o molho por um passador fino, retifica-se o sal, rega-se a carne e serve-se acompanhada de arroz branco.

Harmonização vínica
Embora não seja obrigatório, quando se cozinha com vinho deve servir-se o mesmo tipo a acompanhar o prato. Assim, se puder, escolha para a confeção e para a refeição um vinho tinto da Região Tejo, com aroma a fruta preta madura, especiarias e tosta, das castas Touriga Nacional, Aragonês e Syrah, com estágio em madeira de carvalho.

IN: Os Sabores da Nossa Terra – APRODER- Associação para a Promoção do Desenvolvimento Rural do Ribatejo.

Cartaxo

O concelho do Cartaxo conquistou um lugar relevante no quadro da produção nacional de vinhos de qualidade. Favorecida pelo clima e pela riqueza dos solos, a área vitivinícola do Cartaxo compreende duas zonas com características distintas: o Campo, zona de castas predominantemente brancas, e o Bairro, onde predominam as castas tintas.

Representando um dos principais alicerces de progresso e de desenvolvimento do concelho, o vinho tem uma longa tradição no Cartaxo, sendo prova disso a própria Carta Foral de D. Dinis, isentando o pagamento de impostos a todos os agricultores que plantassem vinhas nos cinco anos seguintes ao aforamento.

Referido por Gil Vicente e enaltecido por Almeida Garrett como uma das povoações mais bonitas de Portugal, o Cartaxo está entre os concelhos com maior produção de vinho da região, assumindo uma posição de destaque no que diz respeito aos vinhos da Região Demarcada do Tejo.