//Montijo e o Vinho
montijo

Montijo e o Vinho

O concelho de Montijo destaca-se pela produção vinícola, que aliada à excelente gastronomia local e ao seu património, fazem de si um ‘apetecível’ território para visitar e voltar.

 

Concelho

Com um território de 348,6 km2, Montijo é um município com uma localização privilegiada na Área Metropolitana de Lisboa.

 

Região

Os seus vinhos estão integrados na Península de Setúbal que compreende duas Denominações de Origem (Palmela e Setúbal).

A zona Este do concelho detém uma beleza de paisagem ínfima e desafogada, pontilhada pelos campos agrícolas, zonas florestais e pela vinha, que há muitas gerações deixou as suas raízes e que hoje marca a identidade deste território vinhateiro.

 

Vinho

Terra de gentes vindas, o concelho de Montijo tem sido desde sempre território de atração e de fixação, beneficiando nos anos 40 com a implantação do projeto agrícola – Colonato de Santo Isidro de Pegões, que fez desses terrenos, outrora ‘uma charneca despovoada e agreste’, dos mais profícuos e férteis da região Demarcada da Península de Setúbal.

Desde 1957 que a Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões, parte integrante desse grande projeto, produz e comercializa vinhos de elevada qualidade, reconhecidos em Portugal e no estrangeiro.

Os vinhos têm como referência a Região Vinícola de Palmela, região de eleição da Casta Periquita. O ‘Moscatel Roxo DO Setúbal’, da Adega de Pegões, foi eleito como o melhor do mundo no concurso ‘Best Muscat du Monde 2016’.

 

Gastronomia

Carne de porco e aves e outros animais de capoeira compõem a base da alimentação. O peixe, particularmente a enguia, tem vindo a ocupar um papel de relevo.

 

Oferta Enoturística

 

Museu Agrícola da Atalaia

Dedicado à ruralidade da região, apresenta um percurso visitável em torno dos lagares de azeite e vinho.

 

Museu Etnográfico em Canha

Está dedicado à cultura do arroz e inclui um espólio de alfaias agrícolas.

 

Colonato Agrícola em Santo Isidro de Pegões

Graças à singularidade do casario edificado, é exemplo único no país. A sua arquitetura tem especial interesse, com destaque para a Igreja de Santo Isidro de Pegões.

 

Feiras e Eventos

 

A Tradição e a Emoção nas festas do Montijo

As Festas Populares de S. Pedro são a expressão maior das tradições locais. O momento alto decorre em junho nos dias 29 (Feriado Municipal) e 30 (Dia de S. Marçal), com a Procissão do Mar e a bênção do rio e das embarcações.

A ‘lavagem’ da classe piscatória junto à Capela do Senhor Jesus dos Aflitos é outro momento de grande significado para as comunidades locais.

Há largadas nas ruas e tourada na Praça Amadeu Augusto dos Santos, marco da tauromaquia nacional. A Queima do Batel encerra as festividades.

Em agosto, a Romaria que origina as Festas de N.ª Sr.ª da Atalaia – A Festa Grande, acolhe Círios e Romeiros a este carismático Santuário Mariano.

Já em setembro, a Vila de Canha honra N.ª Sr.ª da Oliveira com ruas enfeitadas e floridas, realçando o casario de traça alentejana.

 

 

In: Territórios Vinhateiros, Olivícolas e Corticeiros de Portugal, edição da AMPV – Associação de Municípios Portugueses do Vinho.

Publicação no Jornal dos Sabores numa parceria com a AMPV

 

Imagem: CM Montijo