//Migas de Bacalhau

Migas de Bacalhau

“Tivemos sempre pão, Nem que fosse pouquinho, Era bem dividido, P’ra todos um bocadinho”.

Esta simples quadra popular reflete uma realidade social em que até o pão, mesmo sendo pouco, tinha que chegar para muitos. Era a realidade vivida na zona de origem deste prato, a zona serrana do Ribatejo, em que as pessoas tinham muitas dificuldades económicas e comiam o que aparecesse. Longe do litoral, o peixe era escasso: o único a que tinham acesso era ao bacalhau. Com ele, as mulheres preparavam, de madrugada, numa panela de ferro ou de barro, uma refeição que levavam embrulhada em serapilheira para ser comida ao meio-dia pelo rancho da apanha da azeitona. Ao longo de gerações de camponeses, com restos de pão e uma lasca de bacalhau, às vezes com batatas e azeitonas, era este o alimento para um dia de trabalho de sol a sol.

Ingredientes
2 postas de bacalhau demolhado; 1 kg de batatas; 200 g de pão de trigo caseiro ou 300 g de broa de milho; 4 dentes de alho; 3 ovos cozidos; azeitonas; salsa ou coentros picados; 2,5 dl de azeite, sal q.b.

Preparação
Cozem-se as postas de bacalhau, escorrem-se, aproveitando-se o caldo, e lascam-se. Depois de descascadas, cortam-se as batatas em bocados pequenos, cozem-se em água e sal e, depois de cozidas, escorrem-se e misturam-se com o bacalhau. Esmagam-se grosseiramente dois ovos cozidos e corta-se o outro em gomos ou em rodelas. No fundo de um tacho largo de barro, com tampa e que possa ir ao lume, dispõe-se o pão previamente migado, me¬tade da salsa picada e dois dentes de alho picados. Coloca-se o bacalhau com as batatas e, por cima, os restantes alhos e a salsa picados, os ovos cozidos e as azeitonas. Rega-se primeiro com cerca de 3 dl do caldo de cozer o bacalhau e, de seguida, com o azeite. Tapa-se e leva-se ao lume, fervendo cerca de 10 minutos. Retira-se e destapa-se só na mesa.

Harmonização
Prato de sabor intenso, com texturas macias, onde o pão está presente. Pede um vinho com bom volume, não necessariamente pesado. Opte por um branco estruturado, com estágio em madeira, da Região Tejo.

IN: Os Sabores da Nossa Terra – ADIRN – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Norte