//Magma e Muros de Magma 2015

Magma e Muros de Magma 2015

São os dois vinhos açorianos da casta verdelho que a dupla de enólogos Anselmo Mendes e Diogo Fonseca Lopes acaba de apresentar ao mercado.

Produzido nos Biscoitos, a única zona demarcada de produção vínica da Ilha Terceira, Açores, foi apresentado pelos dois enólogos como um produto com características únicas a nível mundial.

“A proximidade ao mar, a história desta região e as características específicas deste solo conferem a estes vinhos um carácter único. O maior desafio para um enólogo é criar vinhos originais e aqui tivemos condições muito especiais para atingir esse objectivo. O Magma e o Muros de Magma transmitem-nos aromas de salinidade e memórias de uma ilha com cinco séculos de história, no que ao vinho diz respeito”, refere Anselmo Mendes.

“Os Biscoitos, sendo a única região de vinhos demarcada da Terceira, tem um potencial incrível por explorar. Dar continuidade a este projecto que iniciámos em 2011, é uma paixão que partilhamos e que sentimos obrigação de mostrar ao resto do país e do mundo”, acrescenta Diogo Fonseca Lopes.

A “Anselmo Mendes Vinhos Lda” assumiu a gestão da Adega Cooperativa dos Biscoitos, ficando responsável pela produção e comercialização dos vinhos, bem como pela compra da uva aos sócios da cooperativa. O pvp do Magma é de 15€ e Muros de Magma de 30€.

O vinho na Terceira

O cultivo do vinho chegou à Ilha Terceira com os primeiros povoadores, no séc. XVI. Depois de quase ter desaparecido com a filoxera (praga devastadora da viticultura mundial), volta a ganhar projecção através da Adega Cooperativa dos Biscoitos, fundada em 1999. Biscoito é o nome que se dá à terra queimada nascida dos vulcões e, por serem terras pobres e de difícil cultivo, foram sempre utilizadas para a vinha. Para tornar o cultivo viável e proteger a vinha, foram construídas curraletas com a própria pedra basilar, o que transformou a vinha neste local num cenário muito especial. Magma e Muros de Magma são mais do que vinhos, são história, a nível local e nacional.

Sobre Anselmo Mendes e Diogo Fonseca Lopes

Reconhecido como Enólogo do Ano em 1998 pela Revista de Vinhos, Anselmo Mendes é um dos responsáveis pelo reconhecimento nacional e internacional dos Vinhos Verdes. Apaixonado pelo estudo das características que cada casta exprime em diferentes solos e climas, a sua carreira enquanto enólogo passa por várias regiões, como o Lisboa, Dão, Douro, Vinhos Verdes e Alentejo, procurando sempre enaltecer o melhor de cada uma. Hoje é consultor de vários projectos a nível nacional.

Por sua vez, Diogo Fonseca Lopes é um dos enólogos de referência da nova geração em Portugal, tendo começado a sua carreira ao lado de Anselmo Mendes na região do Alentejo, em 2005. Em 2009 conclui uma pós graduação em enologia pela Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica de Portuguesa e, em 2010, assume a enologia da Adega Mãe. Partilha com o seu “mentor” a convicção de que os vinhos devem exprimir genuinamente as características da região em que nascem.