//Lamejinhas com cebola

Lamejinhas com cebola

Bivalves abundantes no estuário do Tejo, que podem ser apanhados no lodo durante a vazante da maré.

No concelho da Moita, o Tejo domina a paisagem, confundindo-se com a terra, porque os braços do rio estendendo-se pelo interior, criam uma uniformidade que, até há poucos anos, incluía as atividades económicas tradicionais, hoje quase desaparecidas. A proximidade com o rio, que ainda oferece várias espécies piscícolas, fez com que se desenvolvesse uma gastronomia regional com características próprias, como as Lamejinhas com Cebola, confecionadas com estes bivalves, tão abundantes no estuário do Tejo e que podem ser apanhados no lodo durante a vazante da maré. Antigamente, era tradição de muitas famílias das zonas rurais, por altura da Páscoa, deslocarem-se à Moita, “à lamujinha” ou “lambujinha”, como então se dizia. Hoje, talvez já não existam pescadores no Rosário, povoação do concelho em frente ao Mar da Palha, que apanhem lamejinhas. Entre as várias maneiras de cozinhar este petisco, recomenda-se as Lamejinhas com Cebola.

Ingredientes
1 kg de lamejinhas; 2 cebolas; 2 dentes de alho; 1 molho de coentros; azeite, margarina e sal q.b.; 1 limão.

Preparação
Colocam-se as lamejinhas de molho em água salga¬da durante 48 horas para largarem a areia. Lavam-se, depois, em várias águas. Num tacho, dispõem-se as cebolas cortadas às rodelas finas, juntam-se o azeite, os dentes de alho pisados e os coentros picados. Por cima, põem-se as lamejinhas. Tapa-se o tacho e leva-se ao lume até abrirem todas. Devem rejeitar-se as que não abrem durante a cozedura. Servem-se quentes, regadas com sumo de limão32.

Harmonização proposta pela CVR da Península de Setúbal
Por norma, para acompanhar um prato de marisco, a tendência é optar por um vinho branco. No entanto, para fugir um pouco à regra, propõe-se um vinho ro¬sado. A Península de Setúbal responde às tendências de consumo e é possível encontrar um vinho deste tipo em qualquer supermercado ou gar¬rafeira. A escolha deverá ser um rosado com aroma e palato floral, de final fresco e mineral.

IN: Os Sabores da Nossa Terra – Adrepes – Associação de Desenvolvimento Regional da Península de Setúbal