//Jack & Cola pronto a beber
whiskey

Jack & Cola pronto a beber

O Formato ‘Ready-to-drink’ (pronto a beber) da Jack Daniel’s chegou ao mercado português.

Jack & Cola, bebida composta por whisky e coca-cola, habitualmente pedida em bares, chega agora a Portugal numa versão em lata naquela que será a primeira aposta da Sogrape Distribuição para o segmento ready-to-drink da marca Jack Daniel’s em território nacional.

A empresa acredita que a gama ready-to-drink de Jack Daniel’s Old No.7 terá recetividade em Portugal, em particular no caso da bebida Jack & Cola já que, assegura, “os consumidores têm pedido a sua introdução no mercado português”.

“Jack & Cola é um clássico também em Portugal e sentimos o mercado português particularmente recetivo ao formato RTD (ready-to-drink), nomeadamente com outras referências na categoria de cocktails à base de álcool”, afirma Gonçalo Sousa Machado, diretor-geral da Sogrape Distribuição, mostrando-se confiante de que o formato “será um sucesso e uma viragem na forma como os fãs de Jack Daniel’s Old No.7 veem a marca”.

Distribuído pela Sogrape, o formato estará disponível, numa primeira fase, através da plataforma VinhoEmCasa.com e na Glovo, estando previsto para breve o alargamento da distribuição a hiper e supermercados a nível nacional.

Como sabemos a pandemia trouxe no dia a dia dos consumidores uma variedade de ‘novos costumes’, que vão desde o trabalho em casa, passando por experiências gastronómicas ‘servidas em embalagens’ até ‘degustações online de vinhos’.  No que diz respeito ao mundo dos vinhos, podemos incluir a tendência recente dos vinhos em lata, prontos para serem consumidos.

Segundo a Nielsen Scantrack, empresa especializada em pesquisa de retalho moderno, em 2020, o consumo de bebidas prontas, o chamado ‘Ready To Drink’, teve um crescimento de 60% de valor em relação ao ano anterior. Ou seja, a crise sanitária apenas acelerou uma tendência que já estava a ser estudada e pronta para ser lançada.

“Os coquetéis enlatados realmente atendem à necessidade do consumidor em relação à conveniência e à portabilidade”, afirma Monica Rustgi, Vice-presidente de marketing das marcas Anheuser-Busch Beyond Beer.

O mercado do vinho em lata em Portugal começou a ganhar terreno em 2020, e já no ano passado, alguns dos maiores produtores nacionais, mas também empresas menos mediáticas, deram a conhecer as suas propostas para a nova categoria de bebidas: o primeiro porto tónico “ready-to-drink” lançado pela marca de Vinho do Porto Offley, o Gatão Lata, as referências Pinta Negra Branco e Rosé em lata da Adega Mãe são só alguns exemplos.

Somam-se a esse crescimento os consumidores da geração do milénio, que tendem a preferir ofertas de bebidas prontas para consumo (RTD, sigla em inglês): “A geração milénio adora sabor, variedade e experimentação”, comentou Kara Nielsen, diretora de alimentos e bebidas da WGSN, autoridade global em previsão de tendências de consumo, e os coquetéis enlatados são “um convite à experimentação com um patamar baixo para entrada”.