//Já fechou o ‘A Gondola’ em Lisboa

Já fechou o ‘A Gondola’ em Lisboa

Com mais de 60 anos de atividade, encerramento do restaurante da Praça de Espanha motivou já uma petição pública.

Dificilmente passa despercebida a vivenda localizada na entrada da Avenida de Berna, para quem vem da Praça de Espanha, mesmo em frente à Fundação Gulbenkian. Era aí que funcionava, até ao passado dia 6 de agosto, aquele que alguns dizem ter sido o primeiro restaurante italiano da Península Ibérica, embora também com pratos portugueses na ementa.

A razão do encerramento, esperado há cerca de dois anos, prende-se com a venda, por parte da Câmara Municipal de Lisboa, do lote onde se encontra o edifício, por permuta ao Montepio, que ali quer construir a sua sede. Tratando-se de uma permuta, os proprietários do ‘A Gôndola’ ou saíam agora, com indemnização, ou esperavam pelo final do contrato de arrendamento, em 2020, e nada receberiam.

Entretanto, foi lançada a petição ‘Contra a Demolição do Edifício Restaurante Gôndola e salvar a identidade das Avenidas Novas’ que logo nos primeiros dias alcançou mais de um milhar de assinaturas.
Marcelo ‘solidário’

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de visitar o restaurante antes do encerramento, para “dar um abraço” à gerente e restantes colaboradores.

À revista Sábado, Marcelo contou que em 2000, quando iniciou a atividade de comentador na TVI, fez uma visita ao restaurante de que era frequentador e encontrou-o vazio. Decidiu então dar uma ajuda no momento difícil que o restaurante atravessava e e resolveu “fazer despesa”, como contou.

Mandou vir uma garrafa de Barca Velha, “Mas atenção que na altura o Barca Velha não custava tanto como hoje” sublinha Marcelo no artigo da revista. O então comentador televisivo bebeu um copo e ofereceu o restante da garrafa dizendo à gerente: “Partilhe com a equipa e provem porque, provavelmente, ainda não tiveram essa oportunidade”.
Júlia Ribeiro, a última das gerentes do restaurante revelou que sete dos oito funcionários estão a planear a abertura de um pequeno espaço de restauração, com o objetivo de manter os postos de trabalho e, esperam, «recuperar» pelo menos, alguns dos clientes.