//Inteligência artificial nos vinhos Douro e Porto

Inteligência artificial nos vinhos Douro e Porto

Projeto permite o rastreamento fidedigno de toda a produção, desde a uva até à garrafa.

O Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto (IVDP) e a NOVA Information Management School (NOVA IMS), da Universidade Nova de Lisboa, vão apresentar o projeto IVDP Data+, onde a inteligência artificial a e ciência de dados vão apoiar os processos de planeamento e gestão visando a otimização de processos com impacto, nomeadamente, nos custos de produção ou na identificação das melhores rotas e destinos dos vinhos do Douro e do Porto.

Financiado pelo Portugal 2020 ao abrigo do programa SAMA IA, decorre até dezembro de 2021 e tem um orçamento global de aproximadamente 300 mil euros.

Através deste modelo será possível realizar estimativas de produção para o viticultor – e prever os respetivos custos de produção – identificar os trânsitos de vinhos mais favoráveis e sugerir potenciais mercados mediante as características do vinho, além de permitir o rastreamento fidedigno de toda a produção, desde a uva até à garrafa, garantindo assim a total fiabilidade do produto final.

“O IVDP Data + dar-nos-á a capacidade de conhecer e antecipar a produção e o mercado, nacional e internacional, de uma forma analítica, extraindo valor dos dados já existentes no IVPD enriquecidos com outras fontes de dados. Tirando partido das atuais capacidades analíticas, na sua tripla valência – descritiva, preditiva e prescritiva, iremos utilizar a ciência dos dados e a Inteligência Artificial não apenas para compreender a realidade, mas também e mais importante, antecipar o futuro e propor ações que otimizem resultados em função da avaliação de cenários alternativos e da sua otimização.”, explica Miguel de Castro Neto, da NOVA.

Para Gilberto Igrejas, Presidente do IVDP, “O projeto IVDP Data + cria um novo paradigma de planeamento e gestão de toda a cadeia de valor do vinho do Douro e Porto, lançando as bases para que as políticas públicas que prosseguimos assentem em dados, quer no momento da sua construção, quer na sua monitorização e avaliação. Criamos assim as bases para que as dimensões económica, social e ambiental sejam integradas numa abordagem holística capaz de tirar partido das atuais capacidades analíticas ao nosso dispor numa aposta que denominamos de Winalytics – a ciência dos dados ao serviço da viticultura do Douro e Porto.”