//Há caracóis

Há caracóis

São cada vez mais os ‘caracolófilos’, mas ainda há quem (erradamente) os ache ‘ranhosos’.

Felizmente que – com todos os cuidados – já se pode estar na esplanada, na frente de um prato de caracóis e uma ‘bjeca’. Bem, na verdade começa a substituir-se a cerveja por vinho verde, rosé ou branco.
Apesar da enorme legião de apreciadores, verdadeiros ‘caracolófilos’, este não é um petisco consensual e quem não gosta, ou melhor, não se atreve a provar, argumenta com “aquele ranho que eles deitam”. E acrescentam que “passa por cima de tudo”
Na verdade, estes moluscos gastrópodes terrestres são ‘bichos’ asseados e não há razão para os argumentos acima pois para evitar a desidratação, o caracol tem o corpo envolvido pelo tal muco a que chamam ‘ranho’. Esse muco impede que o pé (toda a parte de baixo do caracol) toque na superfície por onde passa, funcionando como uma sola de sapato e permitindo que o caracol deslize facilmente, sem tocar nas superfícies por onde passa.
No Japão, um salão de beleza criou um novo serviço no qual são utilizados caracóis (caracoletas) para limpar a pele do rosto dos clientes. De acordo com uma funcionária do estabelecimento, o “rasto de muco” que os caracóis deixam, tem benefícios para a saúde da pele.
E fique a saber que na Idade Média as pessoas usavam a água onde os caracóis eram cozidos para tratar dores de garganta, bronquites e infeções gastrointestinais.

Conhece os caracóis?
Os caracóis, que são consumidos há mais de 2 mil anos, têm como principal constituinte a água, são ricos em proteínas e pobres em gorduras, contendo sais minerais como magnésio, ferro, zinco e cobre que garantem a saúde do organismo.
Para quem se preocupa com a ‘linha’, registe-se que mesmo os caracóis comidos nos cafés e restaurantes têm um baixo valor calórico portanto, não engordam. Já a cervejinha e o pão com manteiga, dependendo da quantidade, pode ter esse efeito.
Como exemplo, quando comparado com outros moluscos, 100 gramas de caracóis fornecem 98 quilocalorias, menos 33 do que a mesma quantidade de amêijoa e menos 21 do que a de berbigão.

 

O ‘caviar’ de caracol
Se acha alto o preço dos caracóis, fique a saber que um pires deste petisco está mais acessível ao comum dos portugueses do que uma simples grama dos seus ovos, tendo em conta que o valor kilo deste ‘caviar’ pode ficar entre os 1200 e os 1500€, o que fará com que a ‘tal’ grama possa custar, na melhor das hipóteses, 12€. Mas evidentemente que se trata de algo completamente diferente.
Como a maioria dos produtos associados à alta cozinha, também os ovos de caracol começaram por ser uma opção gastronómica que se desenvolveu primeiro em França, onde na verdade continuam a ser muito apreciados, mas em Portugal também já se produz, mais concretamente no Algarve.
Uma das formas de descrever o ‘caviar’ de caracol é associá-lo a ‘pequenas pérolas’ com uma textura firme mas delicada que explode na boca revelando um subtil sabor a sal e cogumelos.
O chamado ‘caviar branco’ é na verdade uma raridade, já que cada caracol (caracoleta) produz em média cerca de quatro gramas por ano e por isso o preço pode chegar a valores entre os 1200 a 1500€ por kilo. Ou seja, para produzir um quilo de ‘caviar’ de ‘escargots’, são precisas cerca de 260 caracoletas mas nem todos os ovos passam no exigente controle de qualidade, por exemplo da empresa algarvia Caviarblanc.

 

Cozer caracóis
Há quem os cozinhe das mais variadas formas. Cozidos com mais ou menos condimentos, como toucinho ou chouriço, estufados, guisados ou, sobretudo as caracoletas, grelhadas.
Mas não há nada como a simplicidade da tradição e se ainda não é um(a) caracolófilo(a) é melhor começar por confecioná-los «à portuguesa».
Depois de colocados em água durante algum tempo (para saírem da casca) lave-os em várias águas e depois leve-os ao lume numa panela de água, com o lume muito brando para que eles «coloquem os cornos de fora». Quando estiverem mortos, junte um pouco de azeite, sal, dentes de alho, uma folha de louro e alguns orégãos. E aí estão eles, simples e com todo o sabor.

E se quer um conselho, não vá na cantiga do adicionar um daqueles «caldos empacotados».