//Gotik, a lezíria ribatejana numa garrafa de gin…

Gotik, a lezíria ribatejana numa garrafa de gin…

O primeiro «gin do Ribatejo» inclui aromáticas especialmente selecionadas e características das terras escalabitanas.

São 21 os botânicos presentes (alguns produzidos pela empresa), e deles fazem parte o zimbro português e a abóbora-manteiga, para além de sementes de coentros, pimenta-rosa, cardamomo, noz, tomate, framboesa, amora, morango, erva de São Roberto, hipericão, orégãos, tília, rosmaninho, alecrim, tomilho, flor de laranjeira, limão, tangerina e canela.

Carisma regional à conquista do segmento Premium

Do processo de sete destilações, em alambique de cobre, nascem gotas cristalinas que o palato educado e técnico adjetiva de distintivas, intensas, estruturadas e, mesmo, exuberantes.

A homenagem a Santarém e ao traço gótico de muitos dos seus monumentos extravasam igualmente para o rótulo (na edição “Santa Clara”), onde são impressas a letras garrafais as coordenadas geográficas da igreja ex-libris da cidade e o desenho da rosácea que rasga a respetiva fachada principal.

Cinco mercados na calha de exportação

O posicionamento do Gotik é internacional. E as vendas “estão a correr muito bem, de acordo com o projetado, e a aceitação e o reconhecimento da qualidade de produto é transversal a todo o tipo de gama de mercado com a marca a alcançar sucesso externamente, depois de efetuado um grande investimento no Reino Unido, entre dezembro e fevereiro últimos, onde se incluiu uma participação numa feira especializada “ explica Gonçalo Pereira, um dos cinco empreendedores do projeto e gerente da MVP Gin.

A MVP Gin está a ultimar o protocolo de exportação para a Holanda. E seguir-se-á Angola. A Bélgica e a Polónia virão no enfiamento.

Para 2018, segundo a estratégia gizada, são prospetivadas 10.000 unidades e duas novas edições: um gin tipo Casked Age e ainda um outro destilado, para juntar ao atual London Dry.