//Gaspacho: com ou sem pepino? (C/VÍDEO)

Gaspacho: com ou sem pepino? (C/VÍDEO)

Uma sopa fria de confeção simples, mas com algumas ‘discussões’ e variações.

Quanto mais populares se tornam as propostas gastronómicas, mais ‘discussões’ e variações provocam, com uns (e umas) a reivindicar que a sua receita é mais genuína que as outras.
Os espanhóis, sobretudo na Andaluzia, reclamam a ‘paternidade’ do gaspacho e as discussões sobre os ingredientes também no país vizinho ‘aquecem’ apesar de se tratar de um ‘prato frio’.
Em julho do ano passado o DN dava conta de uma acesa discussão entre dois chefes de cozinha espanhóis com um a defender que o gaspacho deve incluir pepino e outro a chamar “Terrorista gastronómico” a quem adiciona aquele fruto do pepineiro.

Por cá, não se vai tão longe, pelo menos publicamente, mas também são várias as versões que vão desde o tradicional tomate maduro cortado em pequenos pedaços, até ao puré de tomate. Depois, há quem adicione pepino e pimento verde. Certo, certo é que leva água gelada e por vezes até uns cubos de gelo para manter a temperatura baixa. E, claro, falando de Alentejo, não pode faltar o pão partido em pedacinhos. Ou melhor, há versões que não o incluem, embora também haja locais onde se juntam pedacinhos de presunto ou azeitonas.

No Algarve podemos encontrar o ‘Arjamolho’ uma receita muito parecida com o gaspacho e que é normalmente acompanhada com peixe frito ou sardinhas assadas. Também no Alentejo, embora algumas vezes constituísse prato único, atualmente o gaspacho é apresentado como acompanhamento e, como vai acontecer na Vidigueira (ver notícia nesta edição) com propostas que vão do peixe frito ao torricado de bacalhau e o próprio gaspacho a incluir uvas.

Evidentemente que muitos dos leitores estarão já a defender como a mais correta a versão que os pais faziam, que comeram num determinado restaurante ou que confecionam para aplauso de amigos e/ou familiares.

Vídeo
Sem pretender aumentar a ‘confusão’ aqui fica a versão do Chefe Duarte Laranjinho, do município alentejano do Redondo, com tomate, pepino, pimento verde…
O melhor mesmo é assistir a este pequeno vídeo que assinalou o 20º aniversário da elevação da gastronomia a ‘Património Cultural de Portugal. (som com baixa intensidade)

https://www.facebook.com/watch/GastronomiaPC/