//Figueira de Castelo Rodrigo e o Vinho
Figueira de Castelo Rodrigo

Figueira de Castelo Rodrigo e o Vinho

O concelho de Figueira de Castelo Rodrigo desenvolveu-se, desde sempre, à volta da cultura da vinha e da produção de vinhos, tendo em consideração a fixação dos monges de Cister no Mosteiro de Santa Maria de Aguiar.

 

Concelho

É constituído por 22 localidades dispersas por uma área de 508.72 Km2, com uma população de 6260 habitantes.

 

Região

Pertence à Região Demarcada da Beira Interior, sub-região de Castelo Rodrigo, sendo que a freguesia de Escalhão pertence à Região Demarcada do Douro.

 

Vinho

O setor vitivinícola, muito enraizado no concelho, é um dos principais pilares da economia local, representando no setor primário, mais de 2/3 da mão de obra ativa. Atentos ao consumo de vinhos de qualidade, os produtores têm vindo a melhorar as condições de produção, atingindo padrões de relevante excelência no quadro da produção nacional de vinhos.

O concelho, essencialmente agrícola, marcado pela orografia dos solos, apresenta paisagens de inimitável beleza, em particular as grandes manchas de vinha que se estendem até perder de vista.

Ocupando uma área de 2474,81 ha que se traduz num volume de produção anual de mais de 12 milhões de quilogramas, com cerca de metade recolhidos pela adega cooperativa e os restantes pelos outros nove (9) produtores/engarrafadores.

O Município tem-se empenhado na participação de feiras e eventos associados ao vinho e enoturismo, na perspetiva de divulgar e promover aqueles vinhos.

Os vinhos apresentam-se muito aveludados e complexos, sendo que os brancos, em particular os síria, se apresentam frescos, com aromas cítricos e mineralizados.

 

Gastronomia

Do pão aos doces, das compotas às amêndoas, do azeite e enchidos ao mel. Borrego da Marofa, grelhados de carnes, migas de peixe do rio, sopas variadas com enchidos e leguminosas, doces associados à amêndoa, azeite e mel.

 

Oferta Enoturística

Integra o Parque Natural do Douro Internacional (PNDI) e o Parque Arqueológico do Vale do Côa (PAVC), onde se situa grande parte da Reserva da Faia Brava, com um património natureza único a que se associa a atividade agro-pastoril de rara beleza.

Os miradouros da serra da Marofa, do Alto da Sapinha (Escalhão), da Capela de Santo André (Almofala) e do Palácio de Cristóvão de Moura (Castelo Rodrigo) permitem-nos apreciar paisagens e uma imensidão de terra a perder de vista no longínquo horizonte, com pores do sol mágicos.

A paisagem agrícola com grandes extensões de vinhedos, amendoais e olivais são de um cromatismo estonteante. A excecional qualidade dos produtos endógenos e a riqueza da cozinha tradicional, a par do bem receber, são razões mais do que suficientes para vir ao território.

 

Feiras e Eventos

 

Recriação Histórica ‘Salgadela a Batalha’

É um evento seiscentista que convida os visitantes a entrar no espírito da época, trajarem-se a rigor e viajar no tempo, contribuindo para valorizar ainda mais a Recriação Histórica ‘Salgadela a Batalha’.

 

Festival do Borrego da Marofa

Associa os vinhos e as adegas, dando a conhecer a nossa gastronomia de excelência. Os pratos confecionados com borrego – comuns nas bodas e batizados – sempre foram amplamente apreciados em todo o Concelho, nomeadamente, em dias de celebração como é o Natal e a Páscoa.

 

Festival das Sopas e Migas

Tem um objetivo fulcral de promoção e valorização turística, bem como de fazer concorrer, premiar e divulgar as receitas das sopas e migas tradicionais da região, confecionadas com produtos genuínos e oriundos desta região de Ribacôa

 

Figueira Com Vida

Decorre durante o mês de agosto, um mês muito importante para a nossa região, a população triplica com o regresso dos filhos da terra que, por circunstâncias da vida, vivem longe da sua terra natal.

 

In: Territórios Vinhateiros, Olivícolas e Corticeiros de Portugal, edição da AMPV – Associação de Municípios Portugueses do Vinho.

Publicação no Jornal dos Sabores numa parceria com a AMPV