//Estudo sobre o consumo de produtos biológicos

Estudo sobre o consumo de produtos biológicos

Organismo do Parlamento Europeu promoveu a revisão de diferentes estudos na área da alimentação e agricultura biológica e os seus efeitos na saúde humana, com foco na questão da saúde pública.

2.1As conclusões políticas do estudo promovido pelo Centro de Serviços de Investigação do Parlamento Europeu aconselham grávidas e crianças a consumirem frutas e legumes biológicos, confirmam a necessidade de maiores apoios à agricultura biológica, alimentação biológica e investigação na área, assim como para uma maior fiscalização.

No que se refere à saúde humana, o estudo conclui que o facto de não serem usados químicos de síntese na alimentação biológica é certamente um fator de redução de riscos. Pode ler-se no relatório que “apesar dos pesticidas serem testados antes de irem para o mercado, há ainda falhas importantes que permanecem, como por exemplo as avaliações que continuam a ignorar os estudos que evidenciam os efeitos negativos dos pesticidas organofosforados no desenvolvimento cognitivo das crianças”.

Durante a gravidez e nos primeiros anos de vida é desaconselhado o consumo de pesticidas, mas, no entanto, é aconselhado o consumo de frutas e legumes.” Assim, uma das consequências políticas do estudo, sugeridas pelos investigadores, será a de aconselhar a alimentação biológica a grávidas e a crianças.

Também no consumo de produtos de origem animal há diferenças significativas: o leite biológico tem em média quantidades superiores de ómega 3, em cerca de 50%, assim como a carne e os ovos.

Este fator deriva do facto da produção animal biológica ter como base a alimentação em pastagens ao ar livre e menos em rações compostas. Para os investigadores, bem mais relevante para a saúde pública, é o contributo do modo de produção animal convencional para o aumento da resistência das bactérias aos antibióticos, sendo que a produção animal biológica exclui por completo os antibióticos, mostrando-se mais favorável à saúde pública.