//Enoturismo: “aliar o vinho à gastronomia”

Enoturismo: “aliar o vinho à gastronomia”

Para crescer, o enoturismo no Norte pretende apostar, por exemplo, na “criação de rotas de vinho aliadas à gastronomia” diz o presidente da TPNP.

O objetivo é que o enoturismo venha a contribuir para a captação do mercado turístico de luxo e o aumento da estadia média na região, mas é preciso “formação” e “trabalho em rede”, defende o presidente da Turismo Norte de Portugal (TPNP).

Nesse sentido, Luís Pedro Martins, presidente da TPNP, considera que o “desafio é a aposta forte na formação e no trabalho em rede entre empresas e produtores do vinho” e também a “criação de rotas de vinho aliadas à gastronomia” e o aumento de empresas de animação turística nas zonas onde são fabricados os vinhos, oferecendo experiências diferenciadoras aos visitantes.

Estas são declarações de Luís Pedro Martins em entrevista à Lusa, no âmbito da recente missão a África do Sul para promover os vinhos os vinhos do Douro e os vinhos verdes, bem como os vinhos da sub-região de Trás-os-Montes Távora-Varosa.

E parece que a viagem do novel presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal ao continente africano o ‘inspirou’ para a aposta no enoturismo sublinhando Luís Pedro Martins que o Norte de Portugal também tem “paisagem” e também tem “qualidade dos vinhos e boa gastronomia”, mas falta à região apostar na formação dos trabalhadores do setor, bem como um trabalho em rede entre todos os agentes, que são duas particularidades em que África do Sul apostou, designadamente aliando às provas de vinho experiências gastronómicas e bem-estar.

Quanto ao ‘piscar de olho’ do presidente da TPNP ao turismo de luxo, tem como justificação o lançamento a 2 de julho de um novo voo entre o Porto e o Dubai (Emirados Árabes Unidos) com operação quatro vezes por semana, recentemente anunciado pela companhia aérea Emirates Airline. Trata-se de um trunfo que pode contribuir para dinamizar o enoturismo na região com a chegada de um segmento de “turismo de luxo” e “com mais poder de compra”, que certamente contribuirá também para a estadia média na região aumentar de 1.8 noites para 2.5 noites.
A “missão” de promoção dos vinhos da região Norte de Portugal na África do Sul resultou de um convite da Secretaria de Estado do Turismo através de uma iniciativa “integrada num programa de ação para o enoturismo que o Turismo de Portugal irá lançar em breve”, para potenciar “o ‘cross-selling’ [técnica de vendas cruzadas] entre vinho e turismo”, explicou a TPNP em comunicado de imprensa.