//Empresas estão a reduzir quantidade de açúcar nas bebidas

Empresas estão a reduzir quantidade de açúcar nas bebidas

O imposto sobre bebidas açucaradas levou a que os consumidores ingerissem menos 5630 toneladas de açúcar em 2017.

As conclusões, que fazem parte de um recente estudo, concluíram que o imposto sobre as bebidas açucaradas, que entrou em vigor no ano passado, levou as empresas a reduzirem a quantidade de açúcar para serem menos taxadas. Uma alteração com efeitos na saúde já que fez com que os habituais consumidores ingerissem menos 5630 toneladas de açúcar em 2017.

Sublinhando que atualmente 5,9 milhões de portugueses têm excesso de peso, os responsáveis revelaram ainda que 17% da população ingere pelo menos um refrigerante ou néctar por dia, percentagem que sobe para 40% no grupo dos adolescentes, destacando-se que também neste grupo a obesidade é um problema já que quase 31% das crianças portuguesas têm excesso de peso.

A criação do imposto sobre as bebidas açucaradas faz parte da estratégia para a alimentação saudável lançada pelo governo e que junta vários ministérios. Assim, as bebidas com teor de açúcar inferior a 80 gramas por litro pagam 8,22 euros de taxa por hectolitro e as que apresentam um teor acima dos 80 gramas por litro pagam 16,46 euros por hectolitro.

“Registou-se uma diminuição de 15% do volume total de açúcar consumido através da gama de bebidas abrangidas pelo imposto”, refere o estudo.

Os investigadores explicam que “este fenómeno se justifica pelo movimento de reformulação levado a cabo por algumas marcas do sector com vista a reduzir o teor de açúcar dos seus produtos, passando estes a ser tributados ao abrigo do escalão inferior”. Para alargar este efeito sugerem que sejam criados escalões intermédios no imposto.

Entretanto o Governo publicou um despacho que determina a criação de um grupo de trabalho para avaliar os impactos deste imposto, sendo que uma das tarefas é estudar a revisão dos escalões. O grupo, que terá de apresentar as suas conclusões até 30 de junho, terá estudar o impacto do imposto na alteração dos comportamentos dos consumidores e o seu efeito na indústria nacional.

Recorde-se que recentemente quatro canais de televisão se uniram em campanha do Governo para alertar sobre riscos do açúcar