//A cozinha já fechou

A cozinha já fechou

Um cliente indignou-se porque o ‘seu’ grupo de 10 pessoas não foi atendido no restaurante no horário em que lhes apeteceu ir almoçar.

Com base num artigo de opinião publicado na versão online de um semanário, em setembro de 2018, esta abordagem do assunto no ‘Jornal dos Sabores’ registou, na altura, mais de 70 mil visualizações e largas centenas de comentários no facebook.

Agora que estamos em plena época de férias e numa altura em que os restaurantes retomam a atividade, será que a necessidade deve levar à aceitação de procedimentos como este, em que o cliente se indignou por não ser atendido quando decidiu deslocar-se mesmo perante a informação de que a cozinha já havia encerrado?

Ou a necessidade de reconquista de clientes e a eventual disponibilidade para (ainda) maiores sacrifícios com vista à retoma da atividade justifica o desrespeito pelos empresários e seus colaboradores?

Certamente que uns e outros se dispõem a algumas «cedências» para agradar aos seus clientes, mas estes não devem (não podem) valer-se da situação para desrespeitar, nomeadamente, o seu direito aos horários de trabalho e descanso. É que muitos clientes não têm noção de quantas horas já se trabalhou quando começam a servir-se as refeições.

Será que o restaurante tem que estar disponível para quando os clientes decidam que lhe apetece ir almoçar, se não for essa a opção e as normas definidas pelo estabelecimento?

Recuperámos esta notícia pela reflexão que, acreditamos, continua a merecer. Leia e ‘construa’ a sua opinião.

Conheça toda a ‘história’ aqui:https://jornalsabores.com/cozinha-ja-fechou/