//Copos de vinho 6 vezes maiores

Copos de vinho 6 vezes maiores

Estudo concluiu que em Inglaterra o tamanho médio das taças de vinho aumentou seis vezes entre 1700 e 2017.

A conclusão, publicada em 2017 pela editora de artigos científicos BMJ, aponta para os últimos 300 anos como o período em que a capacidade dos copos de vinho aumentou, com o maior «pico» a registar-se a partir de 1950, em que passaram de 180 ml para 450 ml.

A referida publicação revela que por volta de 1700 as taças de vinho eram basicamente um copinho de shot: 70 ml. Um século depois, em 1800, ‘cresceram’ para 100 ml o que, reconheçamos não foi um aumento muito significativo.

O estudo usou informações de cinco fontes diferentes: arquivos de vários museus, a coleção de taças da família real, fichas técnicas de fabricantes, informações fornecidas por lojas de departamentos e até taças vendidas no eBay.

Há que ressalvar que os pesquisadores da Universidade de Cambridge só levaram a Inglaterra em consideração, mas a verdade é que o consumo de álcool naquele país também aumentou a um ritmo parecido nas últimas décadas. Em 1950, os britânicos consumiam cerca de 4 litros de álcool puro ao longo do ano – o equivalente a 33 litros de um vinho com 12% de teor alcoólico. Hoje, são 9 litros – mais que o dobro.

O avanço tecnológico também pode ter contribuído para os resultados já que o vidro, hoje, é mais barato e mais fácil de moldar, o que permitiu criar taças maiores que as do passado sem encarecer demais o processo.

Há que ter em conta que nos últimos anos o vinho ganhou um cada vez maior número de consumidores informados e, cosequentemente, com maiores exigências, nomeadamente no prazer de desfrutar os aromas do vinho que são mais evidente em copos de maiores dimensões.

Mas há que ter também em atenção aos efeitos dos copos grandes pois apesar de (quase) ninguém encher um copo de 450 ml até acima, os cientistas dizem que copos maiores têm o mesmo efeito psicológico dos pratos gigantes dos restaurantes de comida a peso: fazem o conteúdo parecer menor em relação ao recipiente, o que incentiva a colocar mais conteúdo lá dentro.