//Conheça quem faz: Esteiros

Conheça quem faz: Esteiros

A Esteiros é uma homenagem ao campo e às suas gentes, que surge das memórias e da vontade de agir de Ana Calapez Gomes. 

“Começou há muitos anos atrás, talvez nas tardes de outono em que, em família, colhíamos marmelos silvestres, abandonados pelos caminhos, e em volta da mesa, às vezes já com a lareira acesa, lavávamos, cortávamos, descascávamos os frutos para meter na panela e fazer a marmelada da minha infância. Aquela mesma que eu via a minha mãe fazer e guardar em tigelas de cerâmica, cobertas de papel vegetal, em filas coloridas no topo dos armários da cozinha.” – revela Ana Calapez Gomes no site da Esteiros.

Depois de um percurso dedicado à academia, que se iniciou com uma licenciatura em história e que terminou na área da docência, Ana sentiu que estava na altura de mudar de rumo. “A paixão foi esmorecendo. A eterna contemplação de realidades abstratas, a elaboração de sofisticados raciocínios sobre o significado de palavras deixou de me atrair…queria agir, queria sentir que participava na transformação dessas mesmas realidades que me limitava a analisar.”  

Esteiros é o nome pelo qual são conhecidos os ‘braços’ do rio Tejo, daí ter sido este o nome atribuído ao projeto, que se localiza em Torres Novas. 

O primeiro produto comercializado foi a Marmelada, ao qual se seguiu o Doce de Laranja, premiado por dois anos consecutivos com Medalha de Ouro na categoria de Doces Extra no Concurso da Qualifica, a Medronhada, marmelada à base de medronho e o Bombom Negro de Torres Novas, à base de figo preto com especiarias e vinho do Porto ao qual foi atribuído o prémio ‘Melhor dos Melhores 2015’.

 

 

O Bombom Negro de Torres Novas foi criado em homenagem a uma variedade de figo que existe apenas na zona de Torres Novas, pequeno, preto e muito doce que servia sobretudo para destilar, devido à sua elevada concentração de açúcar. A sua aguardente era utilizada no processo de enriquecimento do vinho do Porto. Ao bombom é ainda adicionado amêndoa da região, especiarias como a pimenta, a erva doce e o cravinho e alguma raspa de limão. 

 

 

A estes produtos juntaram-se outros, dos doces aos salgados, cada um é único à sua maneira, e estão disponíveis no Smartfarmer: https://smartfarmer.pt/produtor/esteiros/. 

 

 

A Esteiros faz ainda parte do projeto GoFigo, uma associação de 9 produtores que se reuniu de forma a promover a cultura do figo na região, em especial do Figo Preto de Torres Novas. Enquanto cofundadora da GoFigo, a Esteiros comprometeu-se a plantar um novo figueiral de figo preto de Torres Novas. Nesse sentido, vão plantar 450 figueiras, utilizando técnicas de permacultura e solo orgânico.

Das memórias da infância surgiu o sonho de promover e salvaguardar os produtos da região, a Esteiros é um exemplo de como os alimentos podem contribuir para o desenvolvimento dos territórios e para a preservação das tradições.