//«A Ciência está na Mesa» está no Pavilhão do Conhecimento

«A Ciência está na Mesa» está no Pavilhão do Conhecimento

A exposição «Bom apetite! A ciência está na mesa» apresenta mais de 30 módulos interativos que revelam que comer bem não é apenas uma questão de calorias ou quantidades.

Não, não é para «dar seca» sobre os malefícios da má alimentação. É para aprender brincando, afinal a mais antiga fórmula de aprendizagem para os mais pequenos (e não só).

France, Paris, mars 2010 CSI - Cité des sciences Expo Bon Appétit © Sophie Chivet / CSI
France, Paris, mars 2010
CSI – Cité des sciences
Expo Bon Appétit
© Sophie Chivet / CSI

No Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, até setembro de 2017, os alimentos estão na mesa, prontos a ser explorados pelos visitantes de uma forma desafiante e educativa, na exposição «Bom apetite! A ciência está na mesa», composta por mais de 30 módulos interactivos que nos revelam que comer bem não é apenas uma questão de calorias ou quantidades.

O que nos abre o apetite? Como podemos confeccionar um jantar saudável? Será que existem alimentos proibidos? E a televisão, ajuda a engordar? A mostra oferece aos visitantes meios para compreenderem melhor as regras de uma alimentação saudável, ajudando à leitura e triagem de uma multiplicidade de mensagens e informações que, todos os dias, surgem ligadas à alimentação.

A ciência ajuda assim a responder a numerosas questões colocadas por cada consumidor numa altura em que o critério “saúde” tem tendência a sobrepor-se ao do gosto e do prazer. Porque comemos ; Um bom prato ; Inquérito sobre os alimentos ; O gosto dos outros ; Uma fome de cidadão.

Eis algumas das «brincadeiras» propostas aos pequenos visitantes, que os maiores não deixarão de invejar.

É SURPREENDENTE O QUE COMEMOS

Um quis que permite ao visitante aprender mais sobre aquilo que comemos: os nutrientes, a informação nutricional apresentada nos rótulos e quais os pratos preferidos das diferentes nacionalidades.
Neste painel é igualmente lançado o alerta para as causas e consequências de uma epidemia mundial – a obesidade.

O QUE TE LEVA A COMER?

Um prato falante e bastante peculiar coloca questões cruciais aos visitantes que ajudam a revelar um pouco das suas personalidades.
És um guloso? Ou comes simplesmente por necessidade? Que motivações te levam a comer? No final, consoante as escolhas, o módulo revela as diferentes facetas de cada um.

DISTÚRBIO OU HARMONIA

As rodas dentadas da engrenagem representam, detalhadamente, as diferentes etapas dos distúrbios alimentares. Seguindo-as é possível perceber em que fase se encontram as pessoas com estes problemas.

QUE RECEITA ÉS TU?

Um jogo multimédia instalado num fogão faz o visitante entrar numa soberba aventura alimentar. Através de um questionário divertido sobre as preferências e hábitos alimentares, o visitante transforma-se numa receita culinária altamente gourmet e personalizada.

O DIGESTOMÁTICO

Uma máquina ilustra o processo de digestão de um ser humano, centrando-se nos principais órgãos: cérebro, boca, esófago, estômago, intestino delgado, intestino grosso, fígado e ânus. Longe das representações habituais encontradas nos livros escolares, esta máquina representa um enorme esboço que permite aos visitantes perceberem como funciona a digestão.

PROCURA O EQUILÍBRIO

O visitante sobe para um prato gigante instável, segura-se num corrimão que se assemelha a facas e garfos e tem de alcançar um equilíbrio com a ajuda do seu peso corporal.

Este equilíbrio só é alcançado quando as três peças chave (saúde / prazer / convívio) têm o mesmo peso. Este módulo permite mostrar que o ato de comer é essencialmente um equilíbrio entre estas 3 medidas. O jogo é acompanhado por um som que só se torna harmonioso no caso do objetivo seja alcançado.