//Chefe Silva – Biografia (18)

Chefe Silva – Biografia (18)

Maria de Lourdes Modesto deu o ‘click’ para o aparecimento da Teleculinária, que motivou Hélio Loureiro.

Maria de Lurdes Modesto

“…como se costuma dizer, juntei a fome com a vontade de comer, apresentei-os, e pronto…”

Foi professora de Economia Doméstica e a primeira presença regular na televisão portuguesa, entre 1958 e 1970 com um programa de culinária.

Ao longo da sua vida publicou já dezenas de livros, entre eles o famoso “Cozinha Tradicional Portuguesa”, participou em inúmeras ações relacionadas com a gastronomia, em Portugal e no estrangeiro, e é reconhecida como um dos maiores especialistas portugueses em culinária.

Dela, diz o Chefe Silva:
Sem a Maria de Lurdes Modesto não haveria Teleculinária e talvez nem mesmo o Chefe Silva, com a popularidade que alcançou.
Ao que a própria, confrontada com a afirmação, responde:
– Penso que é uma atitude generosa da parte dele dizer isso. Aceito-o, feliz, como um reconhecimento.

Numa das suas deslocações ao Porto, Maria de Lurdes decide aceitar o insistente convite do Chefe e foi almoçar ao Hotel D. Henrique “pois estava curiosa por ver o que ele estava a fazer. E vi uma mesa de frios – que se usava na altura – realmente esplendorosa. Aí eu confirmei, este homem realmente pode ir longe”.

E chegou o dia em que, certo de ser aquele o momento de aproveitar a popularidade que então a televisão lhe estava a proporcionar, o Chefe Silva vai de novo procurar Maria de Lurdes Modesto para que esta o ajudasse a publicar um livro de receitas.

Na ocasião a Fima Lever editava uns ‘cadernos’ de culinária, para oferecer como promoção, que tinham como responsável Francine Dupré. Este era o pseudónimo de Maria de Lurdes Modesto, que entretanto estava a ser pressionada pela Meribérica, no sentido de aceitar a proposta de dirigir uma publicação do mesmo género, mas para venda em banca.
Desinteressada do projeto porque já o fazia na empresa, pressionada pelo responsável da editora e com o Chefe Silva a pedir apoio, “como se costuma dizer, juntei a fome com a vontade de comer, apresentei-os, e pronto”, remata Maria de Lurdes Modesto.

Quem também aguardou, com alguma expectativa, para ser apresentado ao Chefe Silva, apesar de o “conhecer” da Teleculinária há muitos anos foi;

Hélio Loureiro
(Chefe de Cozinha)

“O Chefe Silva, através da Teleculinária, foi o meu primeiro mestre.”

Do seu extenso currículo, desde 1984, destaque-se que foi chefe de cozinha do Futebol Clube do Porto, responsável gastronómico pela Seleção Portuguesa de Futebol. Tem vários livros de cozinha publicados.

Em 1976, quando foi lançada a Teleculinária, Hélio Loureiro tinha 13 anos e “às sextas-feiras, aguardava com alguma ansiedade a chegada do meu pai que trazia a revista, e eu passava todo o fim de semana a fazer as receitas que lá vinham”.

Recorda-se, ainda, de entre as receitas que vinham nos primeiros fascículos, “da de pastéis de nata que eu aprendi e depois passei a fazer aos sábados e a vender para fora”.
Refere com convicção que “foi o primeiro chefe de cozinha comunicador de televisão. Era um profissional da cozinha que era respeitado até pelos outros profissionais”.
Quando fui para a escola hoteleira, onde ele foi monitor, sempre o vi como a minha referência na altura”.
Hélio Loureiro é, também, um homem muito ligado às Confrarias Gastronómicas. E foi precisamente na Chaîne des Rôtisseurs que se conheceram.

“Confesso que tive alguma hesitação quando a ele me dirigi. Mas fiquei imediatamente rendido á simpatia que me demonstrou pois eu era ainda pouco conhecido.Claro que não perdi a oportunidade de lhe dizer que a ele muito devia o facto de ser hoje um profissional de cozinha”.
Nasceu aí uma grande amizade que passou também pelo convite para que o Chefe Silva viesse a integrar a Confraria das Tripas à Moda do Porto, de que Hélio é um dos fundadores.

(Nota – Os textos aqui reproduzidos foram publicados em livro em 2008 pelo que poderão verificar-se ‘desatualizações’)

Chefe Silva – Biografia, tem o patrocínio de:

Do valor dos patrocínios, 25% é atribuído à área de Formação da ACPP – Associação de Cozinheiro Profissionais de Portugal, de que o Chefe Silva foi um dos fundadores.

Pode consultar todos os capítulos já publicados em:
https://jornalsabores.com/category/gastronomia/chefe-silva/